27.7.06

EASYJET

Os céus europeus estão lotados de pequenos pontos nas cores laranja e branco. Não, não são objetos voadores não identificados. São aviões da companhia aérea easyJet, que se transformou em uma das novas febres da aviação no continente europeu porque vende passagem barata, é pontual e eficiente. E ao que parece pretende tornar o velho continente completamente laranja.

A história
O conceito de transporte aéreo de baixo-custo (conhecido em inglês como low cost) não foi introduzido na Europa com a mesma facilidade encontrada nos Estados Unidos. Quebrando as barreiras protecionistas dos governos do velho continente, uma das primeiras empresas a atuar neste segmento na Europa foi a easyJet. Fundada no dia 18 de outubro de 1995 pelo magnata cipriota Stelios Haji-Ioannou, que investiu US$ 15 milhões no novo negócio, iniciou suas atividades pouco depois, no dia 10 de novembro, com dois aviões Boeing 737-300 arrendados, voando a partir da sua primeira, e principal base, o aeroporto de Luton em Londres, para as cidades escocesas de Glasgow e pouco depois Edimburgo. A passagem foi lançada a US$ 45 e o marketing do serviço apoiava-se num slogan quase irresistível: “Making flying as affordable as a pair of jeans - £29 one way” (algo como “Voe para a Escócia pelo preço de uma calça jeans”).


O modelo de baixo-custo da nova companhia aérea era baseado na americana Southwest Airlines, mundialmente conhecida como a pioneira neste mercado. A nova companhia aérea foi um sucesso imediato com seus poucos vôos saindo todos com lotação máxima. Em menos de dois meses a easyJet já havia transportado 30.000 passageiros. Rapidamente a nova companhia aérea acabou criando - finalmente - uma saudável concorrência para empresas tradicionais que por décadas operaram praticamente em monopólio. Nos anos seguintes, a jovem companhia aérea teve um crescimento moderado, mas estável, estabelecendo mais rotas a partir da base de Luton e abrindo novas rotas para cidades no continente europeu. A primeira dessas rotas para fora do Reino Unido, inaugurada no mês de abril de 1996, foi para Amsterdã na Holanda. Ainda nesse ano inaugurou vôos para Nice e Barcelona. Pouco depois, em 1997, a easyJet lançou seu site na Internet onde, a partir do ano seguinte, seria possível comprar bilhetes aéreos.


Em março de 1998 a empresa adquiriu 40% da TEA SWITZERLAND, mudando seu nome para easyJet Switzerland anos mais tarde, que passou a oferecer o mesmo conceito de transporte acessível, desta vez para destinos no sul da Europa, a partir de Genebra e Basiléia. Nesta época, a Ryanair, companhia aérea de baixo custo irlandesa, ainda não era a sua principal rival e havia acordos de entendimento, de não competirem nas mesmas rotas. Tudo isto mudou, quando a maior companhia aérea britânica, a poderosa British Airways, criou a Go Fly, uma empresa low-cost que voava a partir do aeroporto de Londres Stansted (a base principal da Ryanair) para destinos populares na Europa. Houve grande oposição por parte da easyJet, que lançou campanhas de boicote à Go Fly. E não foi só isso. Stelios comprou passagens para o vôo inaugural da Go Fly e compareceu ao evento acompanhado de alguns de seus executivos. Já dentro do avião da Go Fly, eles começaram a distribuir passagens de graça para vôos da easyJet. Era o início de uma “guerra sangrenta”, onde a easyJet utilizava de todas as técnicas de marketing e competição com muita agressividade e ousadia. Em 1999 a companhia aérea rompeu a barreira de 1 milhão de passageiros transportados naquele ano. No mês de setembro de 2000, a empresa anunciou que 4 milhões de bilhetes aéreos tinham sido comercializado pela Internet, representando aproximadamente 85% do volume total.


Pouco depois, em 2001, o aeroporto de Amsterdã passou a ser sua quarta base na Europa e novas rotas foram adicionadas a sua malha aérea. Em 2002, ocorreu a grande e definitiva cartada: a empresa adquiriu sua rival Go Fly por £374 milhões e transformou-se numa das maiores empresas aéreas de baixo-custo da Europa. Foi também o ano em que a empresa decidiu expandir agressivamente e abrir novas bases com novos destinos em toda a Europa, especificamente na Alemanha, depois viriam França, Itália e Espanha. No ano seguinte, a divulgação da compra de mais de 100 aeronaves modelo Airbus A319-100 causou furor no mercado, ajudando a Airbus a tornar-se o maior fabricante de aeronaves comerciais do mundo. Nos anos seguintes a easyJet foi uma das companhias aéreas que registrou maior crescimento em termos de expansão de frota e destinos na Europa, recebendo seu centésimo avião em 2005.


Em outubro de 2007, a easyJet anunciou a compra da companhia aérea GB Airways, adicionando mais rotas e aeronaves a sua rede de transporte. Quando o processo de integração da GB Airways foi concluído em 2009, em apenas seis horas, seus 15 aviões, balcões de aeroportos e instalações foram pintados nas cores e já apresentavam o logotipo da EasyJet. Atualmente, a companhia aérea tem vinte bases em aeroportos por toda a Europa, possuindo como principal concorrente a companhia irlandesa Ryanair. Ambas já competem em alguns destinos e temporariamente lançam agressivas e polêmicas campanhas de publicidade comparativas para cativar passageiros, gerando queixas em tribunais europeus. Nesta “guerra” particular entre as súditas da Rainha, a easyJet, que voa para aeroportos principais das cidades, enquanto a Ryanair opta pelos aeroportos secundários, desfruta de um maior nível de satisfação no Reino Unido por parte dos passageiros, principalmente no que diz respeito ao atendimento do cliente e compensação aos passageiros em casos de cancelamentos de vôos.


A linha do tempo
1996

Lançamento das rotas para Aberdeen, Amsterdã, Nice e Barcelona.
1997
Lançamento das rotas para Mallorca (Espanha) e Genebra.
1998
Lançamento das rotas para Roma, Copenhagen, Atenas, Bolonha, Madri, Belfast, Zurique, Munique e Veneza.
1999
Lançamento das rotas para Málaga, Bilbao, Ibiza, Praga e Lion.
2000
Lançamento das rotas para Nápoles e Milão.
2003
Lançamento das rotas para Marselha e Toulouse.
2004
Lançamento das rotas para Basel, Paris, Colônia, Dortmund, Turim, Varsóvia e Bratislava.
2005
Lançamento das rotas para Valência, Pisa, Cagliari, Berlim, Hamburgo, Lisboa e Murcia.
2006
Lançamento das rotas para Palermo, Bordeaux, Istambul e Marrakech (Marrocos).
2007
Lançamento das rotas para La Coruña, Casablanca (Marrocos), Bruxelas, Porto, Bucareste, Viena, Funchal, Las Palmas e Sofia.
2008
Lançamento das rotas para Innsbruck, Ilhas Jersey, Chipre, Gibraltar, Malta, Tenerife, Nantes, Sharm El Sheikh (Egito), Mykonos, Montpellier, Creta, Estocolmo, Helsinki e Salzburgo.
2009
Lançamento das rotas para Santorini e Dubrovnik.
2010
No mês de fevereiro celebrou a marca de 500 rotas servidas com o lançamento dos serviços entre a cidade de Milão na Itália e Porto em Portugal.


Um modelo de sucesso
A sede mundial da companhia aérea fica no “EasyLand”, um edifício de cor alaranjada adjacente à pista principal de manobras do Aeroporto de Luton. Em uma indústria onde as sedes das corporações são geralmente consideradas seu maior símbolo de status, o edifício é a própria personificação da filosofia de baixo custo da easyJet.
O conceito operacional: mantém sua cultura eliminando os custos desnecessários que caracterizam as linhas aéreas tradicionais. Isto é feito de variadas formas: uso da Internet para reduzir custos de distribuição; maximização da utilização dos seus ativos principais; não utilização de bilhetes tradicionais (somente eletrônicos); não utilização de refeições gratuitas; uso eficiente dos aeroportos; e desenvolvimento de atividades administrativas sem uso de papel.
Operação: possui bases de operação em todo o Reino Unido bem como na Europa Continental.
Cultura: favorece a informalidade em sua cultura com a adoção de uma estrutura bastante enxuta de níveis gerenciais, o que elimina custos desnecessários com os mesmos. Todos os empregados de escritórios são estimulados a usar roupas casuais. Ternos e gravatas estão banidos, com exceção para os pilotos. O trabalho remoto tem sido característica da easyJet desde sua fundação.


Toda essa cultura pode ser comprovada na prática: até hoje a easyJet só aceita reservas pela Internet e não serve refeições durante os vôos. Os passageiros podem comprar lanches rápidos e bebidas a bordo através do easyKiosk, além de cosméticos e pequenos presentes. Além disso, com novíssimos aviões em sua frota, a empresa pode tirar proveito da eficiência no consumo de combustível e custos de manutenção baixos. O serviço espartano é compensado pelo preço convidativo de suas passagens. São oferecidos descontos de até 90% em compras antecipadas. Graças a essa filosofia, a easyJet tornou-se a quarta maior companhia de aviação da Europa, atrás apenas de gigantes como Lufthansa, Air France e KLM.


Os slogans
Come on, let’s fly!
(2008)
The web’s favourite airline.


Dados corporativos
● Origem:
Inglaterra
● Fundação:
18 de outubro de 1995
● Fundador:
Stelios Haji-Ioannou
● Sede mundial:
Luton, Inglaterra
● Proprietário da marca:
EasyJet plc
● Capital aberto: Sim (2000)
● Chairman:
Sir Michael Rake
● CEO:
Carolyn McCall
● Faturamento: £3.45 bilhões (2011)
● Lucro: £225 milhões (2011)
● Valor de mercado: £1.7 bilhões (janeiro/2012)
● Frota:
202 aeronaves
● Destinos: 130
● Hubs principais:
20
● Passageiros transportados: 54.509.271 (2011)
● Presença global: 30 países
● Presença no Brasil: Não
● Funcionários:
7.300
● Segmento:
Aviação
● Principais produtos:
Passagens áreas de baixas tarifas
● Principais concorrentes:
Ryanair e Air Berlin
● Subsidiárias:
easyJet Switzerland
● Ícones:
A cor laranja
● Slogan:
Come on, let’s fly!
● Website: www.easyjet.com

A marca no mundo
Atualmente a easyJet oferece à seus passageiros mais de 120 destinos diferentes, voando para quase toda a Europa, além de Marrocos e Egito. A novíssima frota operada pela companhia aérea, com média de apenas 3.5 anos de idade, conta com 202 aviões, somente modelos da européia Airbus. Em 2011, a easyJet transportou mais de 54.5 milhões de passageiros através de 600 rotas entre 130 aeroportos europeus e do norte da África. Aproximadamente 95% de suas vendas de bilhetes são feitas pela Internet. Em 2011, a EASYJET transportou, somente entre os aeroportos ingleses, mais de 30 milhões de passageiros, mais que qualquer outra companhia aérea do país. A empresa possui 20 hubs principais na Europa, entre os quais: Londres (Gatwick, Luton e Stansted), Edimburgo, Glasgow, Berlim (Schönefeld), Liverpool, Newcastle, Belfast, Dortmund, East Midlands, Paris (Charles de Gaulle e Orly), Milão (Malpensa), Bristol, Madrid (Barajas), Lyon e Manchester.

Você sabia?
A easyJet é a maior operadora do mundo de aeronaves Airbus A319.


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek, Time e Isto é Dinheiro), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).

Última atualização em 16/1/2012

Nenhum comentário: