11.3.09

METRO

Todas as manhãs em 150 grandes metrópoles do mundo, milhões de pessoas tomam as ruas, trens, ônibus e metrôs para irem trabalhar ou simplesmente realizar alguma atividade diária. Ávidos por informações, como requer o mundo atual, essas pessoas possuem um companheiro de leitura diária: o jornal METRO. Simples, bem diagramado e compacto, o jornal é capaz de informar milhões de pessoas que praticamente não conseguiriam ler durante o dia. E o melhor de tudo, é totalmente grátis. De Nova York à Paris, de Hong Kong a Cidade do México, o METRO está redefinindo o hábito diário de leitura de milhões de pessoas pelo mundo.

A história
O tablóide gratuito METRO surgiu de uma constatação, em meados da década de 90: cada vez mais as pessoas tinham menos tempo para ler jornal (principalmente os tradicionais, grandes e pagos) e se informar com as notícias do dia. Foi então, que a empresa Modern Times Group, fundada pelo jornalista Pelle Andersson, juntamente com a Viasat Broadcasting, criou uma subsidiária para produção e distribuição de um tablóide gratuito e de qualidade na capital da Suécia. A primeira edição do jornal METRO (lê-se “métrou”) foi publicada no dia 13 de fevereiro de 1995 e distribuída no metrô de Estocolmo. O nome METRO foi justamente escolhido em virtude do canal de distribuição do novo jornal: a rede de transporte público (especialmente o metrô).


O jornal oferecia informação rápida, de qualidade, ilustrada e dirigida a um público jovem, gratuitamente. A fórmula era perfeita para um público jovem e qualificado, que não tinha o hábito de ler diariamente os jornais tradicionais. Para completar, o jornal inovou também na distribuição, buscando seus leitores nas ruas e estações do metrô. A concretização do sonho da conquista mundial veio em 1997, com o lançamento da primeira edição internacional em Praga, na República Tcheca. Daí em diante, a cada ano, o jornal conquistou mais e mais cidades em diversos países europeus. Amsterdã, Atenas, Barcelona, Lisboa, Madrid, Paris, Porto, Roma, São Petersburgo e Valencia, todas ganharam sua edição local.


Em 2000 o METRO ultrapassou os limites da Europa, e além de Grécia e Itália ganhou edições no Chile, Estados Unidos e Canadá. Em 2002 chegou à Ásia com as edições em Hong Kong e Seul. Em 2004 ganhou as ruas da agitada Nova York. Somente em 2005 foram lançadas 19 novas edições. O enorme sucesso do jornal pode ser comprovado em 2006, quando, com mais de 18.5 milhões de leitores diários, o METRO entrou para o Livro dos Recordes (Guinness Book of Records) como o “maior jornal global do mundo”. O METRO adotou uma política agressiva de expansão global, sendo que somente neste ano lançou edições na Croácia, Espanha, México, Ilhas Canárias, Alemanha e no país Basco. Focado num público “jovem, ativo, educado e urbano”, o jornal conseguiu se provar um investimento atraente para a publicidade.


No dia 7 de maio de 2007, graças a uma parceria com o Grupo Bandeirantes, o METRO passou a circular também em São Paulo. De segunda à sexta-feira, dezesseis heróicos profissionais multifuncionais produziam as 150 mil cópias gratuitas de alto padrão internacional, bem diagramado, cheio de cores vivas e mesclando informações de consumo rápido com algumas (poucas) reportagens exclusivas e variadas. Neste mesmo ano, ganharam as ruas edições do METRO nas cidades de Calgary e Edmonton, ambas no Canadá. Em apenas 13 anos de vida, o METRO NEWS se tornou o maior jornal diário do mundo, sendo distribuído em mais de 21 países ao redor do planeta. Em janeiro de 2009, devido a crise econômica, o METRO cessou sua publicação e distribuição na Espanha (onde estava presente em 7 cidades com mais de 1.8 milhões de leitores).


A linha do tempo
1997
Lançamento da edição da República Checa (Praga).
1998
Lançamento de edições locais em Budapeste (Hungria) e Gotemburgo (Suécia).
1999
Lançamento de edições locais em Amsterdã (Holanda), Helsinki (Finlândia) e Malmo (Suécia).
2000
Lançamento de edições locais em Milão e Roma (Itália), Atenas (Grécia), Varsóvia (Polônia), Santiago (Chile), Toronto (Canadá) e Filadélfia (Estados Unidos).
2001
Lançamento da edição local de Boston (Estados Unidos), Copenhagen (Dinamarca), Madrid e Barcelona (Espanha).
2002
Lançamento da edição local de Paris, Marselha e Lion (França), Hong Kong e Seul (Coréia do Sul).
2003
Lançamento da edição local de La Coruña, Sevilha e Zaragoza (Espanha), e Pusan (Coréia do Sul).
2004
Lançamento da edição local de Bordeaux, Lille e Tolousse (França), Valencia e Alicante (Espanha), Lisboa (Portugal) e Nova York (Estados Unidos).
2005
Lançamento da edição local de Rennes, Strasburgo e Nantes (França), Vancouver e Ottawa (Canadá).
2007
Lançamento da edição local de São Paulo (Brasil), Calgary e Edmonton (Canadá).
2008
Lançamento do e-Metro, a versão eletrônica do jornal gratuito.
2010
Lançamento das edições locais de Campinas e Rio de Janeiro (Brasil).


O segredo do sucesso
Atualmente, as edições do METRO são distribuídas em zonas de tráfego movimentado ou em redes de transporte público numa combinação de cabines de auto-serviço e por distribuidores em dias de semana. Edições de final de semana também são publicadas em Estocolmo e Santiago. Os pontos de distribuição estão localizados em volta ou nas redes de transporte público (metrô, trens, ônibus), prédios de escritórios, grandes lojas, em pontos-chave de ruas movimentadas, ou em outras áreas populacionais de alta densidade como campus de universidades. O nome local das edições do jornal METRO pode variar devido a questões de direitos autorais. As edições chilenas e mexicanas são chamadas PUBLIMETRO, a espanhola era nomeada METRO DIRECTO. Com 500 jornalistas espalhados por mais de 20 países, o METRO oferece uma grande rede de correspondentes nas principais cidades do mundo. Mais do que notícias, eles vão trazer informações únicas. Enquanto o METRO de Milão vai nos manter em dia do o mundo da moda, por exemplo, o METRO Helsinque vai antecipar as próximas tendências da telefonia celular. Mas apesar de pensar globalmente, o METRO age aqui e agora. Ele é um jornal local, um veículo da cidadania.


Os slogans
Read More. Know More. Live More.
The world’s largest global newspaper.
O maior jornal do mundo.
(Brasil)


Dados corporativos
● Origem: Suécia
● Lançamento:
13 de fevereiro de 1995
● Criador: Pelle Andersson, Robert Braunerhielm e Monica Anderson
● Sede mundial: Luxemburgo
● Proprietário da marca:
Metro International S.A.
● Capital aberto: Sim
● Chairman: Mia Brunell Livfors
● CEO & Presidente:
Per Mikael Jensen
● Faturamento: €222.4 milhões (2010)
● Lucro: €3.9 milhões (2010)
● Valor de mercado: €570 milhões (julho/2011)
● Edições: 62
● Leitores semanais: 73 milhões
● Tiragem diária: 8.5 milhões
● Presença global:
20 países
● Presença no Brasil: Sim
● Funcionários: 800
● Segmento: Comunicação
● Principais produtos:
Jornais gratuitos
● Slogan: The world’s largest global newspaper.
● Website: www.metro.lu

A marca no mundo
Com uma tiragem diária superior a 8.5 milhões de exemplares e 62 edições internacionais, o METRO NEWS é lido todas as semanas por mais de 73 milhões de pessoas em 127 metrópoles e cidades de 20 países da Europa, Américas e Ásia. A versão digital do jornal recebe aproximadamente 10 milhões de visitantes mensalmente. O maior jornal do mundo é editado em 18 línguas diferentes, tendo em sua redação mais de 500 jornalistas. Os maiores mercados da marca são Canadá e Suécia.

Você sabia?
A edição paulista do METRO tem tiragem de 200 mil cópias, sendo distribuído de segunda à sexta-feira em mais de 300 pontos vitais da cidade de São Paulo, atingindo mais de 380.000 leitores. A edição tem diagramação diferenciada e pode ser lida rapidamente, num tempo médio estimado de 17 minutos.


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Time), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).

Última atualização em 8/7/2011

Nenhum comentário: