26.5.10

SEARA


Se você deseja um café da manhã delicioso, um almoço rápido, um jantar em família, ou preparar um saboroso lanche para os filhos, conte com a SEARA para todas essas ocasiões. Afinal, seus produtos são reconhecidos, tanto no mercado nacional como internacional, pela altíssima qualidade, produzidos em fábricas modernas, com tecnologia de última geração. Saborosos e confiáveis, os produtos da marca entregam sabor e praticidade às refeições de milhões de pessoas. 

A história 
A história da empresa tem início no ano de 1956, no dia 18 de novembro, com a inauguração do primeiro frigorífico de grande porte na cidade de Seara, oeste do estado de Santa Catarina, pelos irmãos Artêmio e Aurélio Paludo (então prefeito da cidade), mais Teodoro Barbieri e dezenas de sócios. Ainda neste ano, ocorreu o primeiro abate de suínos da recém-criada empresa. Em 1968 a empresa inaugurou a primeira granja de material genético suíno. No início da década de 1970, mais precisamente em 1973, a SEARA diversificaria suas atividades com o abatimento de suas primeiras aves. Nesta época a SEARA possuía uma fábrica de ração, incubatório, granja de matrizes e contratos de parceria avícola com pequenos agricultores. Dois anos mais tarde, a empresa realizou a sua primeira exportação de 240 toneladas de frangos para o distante Kuwait, iniciando assim uma enorme fase de crescimento.


No início da década de 1980, a Ceval Alimentos, uma grande processadora de soja, adquiriu a SEARA, conservando sua marca já consolidada no mercado e impulsionando a sua capacidade de investimentos. Além disso, ampliou o número de unidades industriais, equipando-as com tecnologia moderna e adequada ao seu mercado de atuação. Nesta época, em 1982, ocorreram as primeiras exportações para o Japão, além de se tornar a primeira empresa brasileira do segmento a exportar cortes de frango para o exigente continente europeu. Na década de 1990 a SEARA adotou uma estratégia agressiva de investimentos para o aumento da produção e da produtividade, ampliação da linha de produtos e do programa de permanente atualização tecnológica.


No final desta década, em 1997, a Bunge International assumiu o controle acionário da Ceval, e passou a ser proprietária da SEARA, que definitivamente se tornou uma marca especializada em aves, suínos e carnes processadas. Em 2000 a SEARA se tornou líder na exportação de carne suína, e também realizou sua primeira venda para a rede de alimentação rápida McDonald’s, da qual se tornaria uma estreita fornecedora. A partir deste ano, a marca ingressou em outro segmento de mercado com o lançamento de uma linha de pratos prontos congelados. Ao final desta década a SEARA fortalecer seus mercados internacionais com a inauguração de escritórios comerciais em Buenos Aires (Argentina), Amsterdã (Holanda), Cingapura (Ásia), Tóquio (Japão) e Dubai (Oriente Médio), comprovando assim a extrema qualidade de seus produtos.


No início do novo milênio a SEARA se tornou a maior exportadora brasileira de carne suína. Pouco depois, em 2004, a empresa inaugurou uma moderna unidade de produção de cozidos de carne suína, com capacidade anual de produção estimada em oito mil toneladas de carne processada. A nova unidade, além de atender ao mercado externo, seria responsável pelo desenvolvimento de novos produtos voltados para o mercado interno, que demonstrava crescimento significativo nos anos anteriores. Nos anos seguintes, a SEARA introduziu no mercado produtos inovadores totalmente adequados para atender e surpreender os consumidores mais exigentes.


Em 2009, o frigorífico Marfrig, um dos maiores do país, adquiriu a SEARA, que pertencia a Cargill desde 2005, por aproximadamente US$ 900 milhões, incluindo as dívidas da empresa catarinense. O negócio compreendia as sete unidades industriais de aves com capacidade de abate de 1.2 milhões de aves/dia e duas unidades de suínos com capacidade de 5.8 milhões cabeças/dia. Fizeram parte do acordo também três plantas de alimentos industrializados e processados, com capacidade de produção de 17.5 mil toneladas/mês; um terminal portuário privativo para cargas frigoríficas e cargas secas, localizado em Itajaí (SC); nove fábricas de ração; seis granjas de matrizes de aves, que possuem aproximadamente 3 mil produtores integrados de aves e suínos; além das operações de distribuição e venda no Reino Unido, Japão e Cingapura.


Desde a aquisição a Marfrig investiu muito dinheiro para transformar a marca SEARA facilmente reconhecida em qualquer lugar do planeta. O grande passo nesse sentido foi se tornar patrocinador oficial da FIFA nas Copas do Mundo de 2010 e 2014. Estima-se que a empresa tenha desembolsado US$ 100 milhões para aparecer em todos os jogos do torneio. Além disso, também se tornou patrocinadora oficial da Seleção Brasileira e apostou na equipe do Santos. Porém, em virtude do alto endividamento da empresa, em 2013 a SEARA foi adquirida pela JBS por R$ 6 bilhões (que incluiu as operações de frango, peru, suíno e margarina – com a marca Doriana -, 30 plantas e 21 centros de distribuição), que assim se tornou a maior processadora de frango no mundo. A partir de 2014, as operações de suínos e frangos da empresa no Brasil passaram a fazer parte da JBS Foods, que inclui as operações da JBS Aves e da antiga Seara Brasil. A subsidiária já nasceu grande, com capacidade de processar 4 milhões de aves e 20.000 porcos por dia - além de 75.000 toneladas de carne bovina por mês. A partir deste momento a SEARA se tornou apenas uma marca e deixou de existir com empresa.


A linha do tempo 
1982 
Lançamento da linguiça de pernil. 
1990 
Lançamento da linha light. 
2000 
Lançamento da linha de pratos prontos. 
2001 
Lançamento do lombo e do pernil suínos assados. 
2002 
Lançamento da nova linha de empanados de frango do tipo nuggets. 
2003 
Lançamento da linha AVE CLASSY LIGHT, produzida à base de ave Classy, reconhecida pelos seus baixos teores de gordura, sabor suave e gostoso (uma das características mais apreciadas pelos consumidores dos produtos light). 
2004 
Lançamento do lombo recheado. 
Lançamento do nuggets empanado com limão. 
Lançamento de uma nova linha de pratos prontos composta por Strogonoff, Peito de Frango à Parmegianna, Peito de Frango ao Molho Branco com Vegetais, Pernil ao Molho com Vegetais, Costelinha Suína ao Molho Oriental e Lombo ao Molho Oriental. 
2005 
Lançamento do DINONUGGETS, nuggets em formatos de dinossauros, um produto especialmente voltado para o público infantil. 
2006 
Lançamento das tirinhas de peito de frango recheadas. 
2007 
Lançamento do Chicken Grilled para a rede McDonald’s. 
Lançamento dos empanados nos sabores limão, pizza e queijo. 
Lançamento da mortadela VERONEZZA, fabricada com matéria-prima altamente selecionada. 
2008 
Lançamento de novos pratos prontos: tilápia e camarão. 
Lançamento do hambúrguer de galinha caipira. 
Lançamento do peito de frango defumado. 
Lançamento da banana empanada para a rede McDonald’s. 
Lançamento da lasanha, da linha sanduíches HOT HIT (nas opções x-burguer com molho barbecue, hambúrguer com cheddar e x-frango com molho de queijo) e da linha SPECIAL LINE, composta por costela e lombo com molho barbecue. 
2009 
Lançamento do pão de queijo e da batata frita congelados. 
Lançamento do pernil com osso, salsicha para cachorro quente e mortadela sem cubos de gordura. 
Lançamento dos EURONUGGETS para a rede McDonald’s da Alemanha, Polônia e Áustria. 
2010 
Lançamento do frango VEGETALLIS, originário de aves alimentadas exclusivamente com ração vegetal. Antes apenas disponível para os consumidores da marca no exterior, a novidade agrega maior valor para categoria de carnes “in natura”. 
Lançamento do Hot Hit Picanha com ketchup, uma novidade da linha de congelados, que inova ao acrescentar molho ao lanche pronto. 
Lançamento de uma linha de pizzas congeladas nos sabores calabresa, mussarela, quatro queijos, frango com queijo cremoso, e o exclusivo fugazzeta, com cebola e queijos. 
2013 
Lançamento de mais duas opções de refeições práticas: o Escondidinho de Calabresa e o de Carne Moída.


A evolução visual 
A identidade visual da marca passou por grandes alterações ao logo dos anos. A primeira alteração ocorreu na década de 1970, quando o logotipo adotou apenas uma letra S estilizada. Na década seguinte foi apresentada uma identidade visual completamente remodelada: acima do nome da marca raios de sol e um fundo vermelho hexagonal. Nos anos de 1990 o logotipo ganhou uma nova tipologia de letra e um fundo vermelho com as bordas arredondadas. O atual logotipo foi adotado somente em 2010, quando ganhou efeitos de sombreamento e mais vivacidade.


Os slogans 
Se tem Seara, AÍ SIM! 
O sabor que a vida tem.


Dados corporativos 
● Origem: Brasil 
● Fundação: 18 de novembro de 1956 
● Fundador: Artêmio e Aurélio Paludo e Teodoro Barbieri 
● Sede mundial: São Paulo, Brasil 
● Proprietário da marca: JBS S.A. 
● Capital aberto: Não (subsidiária) 
● CEO: Wesley Mendonça Batista 
● Presidente: Gilberto Tomazoni (JBS Foods) 
● Faturamento: R$ 7.5 bilhões (estimado) 
● Lucro: Não divulgado 
● Presença global: 50 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Segmento: Alimentos 
● Principais produtos: Cortes de aves e suínos e produtos industrializados 
● Concorrentes diretos: Sadia, Perdigão e Aurora 
● Slogan: Se tem Seara, AÍ SIM! 
● Website: www.seara.com.br 

A marca no mundo 
Hoje em dia a SEARA, uma das marcas líderes na exportação de carne suína, possui 30 unidades produtivas nos estados de Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul, exportando seus produtos para 50 países ao redor do mundo. A marca também é uma das maiores no segmento de aves e carnes processadas, com expressiva atuação na linha de produtos cortados e desossados de frango. Atualmente, sua vasta linha de produtos engloba desde cortes suínos e frango, carne processada, passando por uma completa linha de alimentos processados (como pizzas e lasanhas), presuntos, linguiças, salsichas e mortadelas até batata frita e pão de queijo congelado. A Seara é terceira marca do segmento no mercado brasileiro, atrás apenas da Sadia e Perdigão. 

Você sabia? 
A SEARA foi a primeira empresa do setor a obter a certificação de qualidade ISSO 9002 para toda a cadeia produtiva de frango no ano de 1996. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Veja, Isto é Dinheiro, Época Negócios e Exame), jornais (Valor Econômico e Meio Mensagem), sites especializados em Marketing e Branding (Mundo do Marketing) e Wikipedia (informações devidamente checadas). 

Última atualização em 16/2/2014

2 comentários:

Di* disse...

Seu blog é uma excelente fonte de referências. Parabéns!

Taty Santiago disse...

Esse Blogo tem me ajudado muito no trabalho, pois faço pesquisa em marcas, parabéns por ele!