3.7.10

LONGCHAMP


Suas bolsas misturam de forma única o estilo clássico com grafismos, símbolos e cores chamativas criando uma ousadia luxuosa. São vistas à tiracolo desfilando junto à celebridades pelos ambientes mais descolados do mundo. Foi assim que a francesa LONGCHAMP, cujos produtos são focados no estilo das parisienses, conseguiu se transformar em uma das marcas da moda mais desejadas do segmento de luxo. 

A história 
A empresa iniciou suas atividades no dia 23 de setembro de 1948 quando o empresário Philippe Cassegrain começou a vender produtos para tabaco e cachimbos na cidade de Paris. Batizou seu novo negócio com o nome LONGCHAMP (que traduzindo do francês significa “campo longo”), inspirado em uma famosa e tradicional corrida francesa de cavalos. O visionário transformou o negócio de tabaco da família em uma loja de exclusivos cachimbos envoltos por couro e fabricados por excelentes artesãos, que rapidamente se tornaram itens de luxo entre os franceses, especialmente pela qualidade superior do produto. Em 1955, o empresário expandiu seus negócios, abrindo uma fábrica em Segré, a 300 quilômetros de Paris, para produzir outros acessórios em couro, como carteiras, malas e bolsas, pelos quais sua marca ficaria conhecida em todo o mundo. Os cachimbos apareceram pela última vez no catálogo da empresa em 1978.


No início dos anos de 1970, a LONGCHAMP introduziu no mercado, inicialmente no Japão, a linha de bolsas LM, principal responsável por tornar a marca francesa reconhecida no segmento de acessórios de couro femininos. Essa linha tinha como principal característica a estampa formada pelo tradicional símbolo do cavaleiro da marca entrelaçado com pequenos cintos formando vários quadrados. Esta década foi marcada também pela inauguração, em 1979, das primeiras boutiques da marca no Japão e em Hong Kong. Nos anos de 1980, Philippe Cassegrain, filho do fundador da empresa, assumiu o comando e iniciou uma expansão internacional com a inauguração de lojas próprias pela Europa, abrindo unidades na Alemanha e Bélgica.


A primeira loja na França seria inaugurada somente em 1988 na cidade de Paris. Ele também foi o responsável pela diversificação da linha de produtos, passando a comercializar luvas, echarpes, gravatas, cintos, uma pequena coleção de roupas e até guarda-chuvas. Em 1993 a marca francesa lançou a famosa Le Pliage (uma ousada e informal bolsa de náilon com detalhes em couro, que ao ser dobrada ficava do tamanho de uma pequena carteira), produto que ajudou a LONGCHAMP a se projetar internacionalmente e penetrar em outros mercados importantes, como por exemplo, o americano, onde o item se transformou em um enorme sucesso. Desde a sua introdução, a Le Pliage já vendeu mais de 26 milhões de unidades no mundo todo, ganhando até versões em couro, diversas cores e quatro tamanhos (pequena, média, grande e extra grande).


A partir de 2000, a LONGCHAMP iniciou sua associação com artistas e estilistas badalados para renovar sua linha de produtos. O americano Jeremy Scott, o britânico Tracy Emin e o arquiteto inglês Thomas Heatherwick (responsável pela criação e decoração da moderna butique da marca no descolado bairro do SoHo, inaugurada em 2006) criaram modelos exclusivos que ajudaram a tradicional marca francesa a se reinventar no mundo da moda. Um exemplo disso foi o debochado estilista Jeremy Scott, que criou uma divertida linha de bolsas batizada de Ceci est un it bag (em tradução livre “Isso é a bolsa do momento”), uma brincadeira com o famoso quadro de René Magritte, de 1928, Ceci n’est pas une pipe (“Isso não é um cachimbo”), fazendo uma clara referência aos primórdios da marca, quando ainda era uma tabacaria. Em 2005, mais uma prova de ousadia da LONGCHAMP: a polêmica modelo Kate Moss se transformou na garota-propaganda da marca. Pouco depois, em 2007, a LONGCHAMP lançou, inicialmente restrita ao mercado europeu, uma pequena coleção de prêt-à-porter, além de uma sofisticada linha de sapatos.


Depois de investir em lojas na Venezuela, no Chile e no México, a marca francesa desembarcou no Brasil com a inauguração, em maio de 2008, de uma loja no luxuoso shopping Cidade Jardim em São Paulo. Ainda este ano, ao comemorar 60 anos, além das festas realizadas em cidades como Paris, Tóquio e Nova York, a marca francesa lançou uma coleção exclusiva de 60 bolsas para comemorar tão importante data, criadas pelo design belga Jean-Luc Moerman com grafismos inspirados na arte da tatuagem. Ainda para comemorar a importante data, a marca também relançou uma coleção dos anos 70 da linha LM, desenhada pelo fundador da empresa. Em 2009 a marca iniciou a comercialização de produtos da linha náutica e esportiva, abrangendo assim um público ainda mais diverso.


No ano seguinte a marca francesa deu mais uma demonstração de ousadia ao lançar no mercado uma coleção de bolsas assinada pela modelo Kate Moss, que rapidamente se transformou em um enorme sucesso de vendas. Com sofisticadas lojas inauguradas recentemente em Pequim, na China, e em Osaka, Japão, a marca francesa deu demonstrações de que esses mercados são considerados prioritários para seu crescimento mundial. A cada ano, são lançados 300 novos modelos de bolsas, produzidos nas seis fábricas da empresa, todas localizadas na França, comprovando o sucesso da LONGCHAMP que prioriza a qualidade e o design único de seus produtos. Combinando luxo acessível, habilidade e um toque francês, a marca LONGCHAMP se tornou protagonista neste segmento tão disputado.


A evolução visual 
Atualmente, apesar de não utilizar mais o famoso cavaleiro montado em um cavalo longilíneo, este tradicional símbolo e ainda muito associado à marca francesa, aparece em algumas linhas de produtos e comunicação da LONGCHAMP.


Dados corporativos 
● Origem: França 
● Fundação: 23 de setembro de 1948 
● Fundador: Jean Cassegrain 
● Sede mundial: Paris, França 
● Proprietário da marca: Longchamp S.A.S. 
● Capital aberto: Não 
● Chairman: Philippe Cassegrain 
● CEO: Jean Cassegrain 
● Faturamento: €454 milhões (2012) 
● Lucro: Não divulgado 
● Lojas: 250 
● Presença global: 100 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 1.300 
● Segmento: Moda de luxo 
● Principais produtos: Bolsas, carteiras, malas e calçados 
● Concorrentes diretos: Coach, Fendi, Furla, Marc Jacobs e Lancel 
● Ícones: O cavaleiro montado em um cavalo 
● Website: www.longchamp.com 

A marca no mundo 
Atualmente a marca LONGCHAMP, que comercializa especialmente bolsas, carteiras, pastas e malas, está presente em 100 países ao redor do mundo, vendendo seus produtos através de mais de 250 lojas próprias e mais de 1.800 pontos de venda, geralmente localizadas dentro de sofisticadas lojas de departamento, multimarcas e aeroportos. Anualmente a marca produz quatro milhões de bolsas, o que ajudou a alcançar em 2012 um faturamento de €454 milhões (aproximadamente dois terços deste montante são provenientes da Europa). No Brasil, além da flaship store localizada no Shopping Cidade Jardim, e lojas no JK e Iguatemi, na capital paulista, a LONGCHAMP possui unidade no Dutyfree do aeroporto internacional do Rio de Janeiro. 

Você sabia? 
Atualmente a LONGCHAMP é comandada pelo neto do fundador, Jean, que carrega o mesmo nome de seu avô. Além disso, outros dois netos, Sophie e Oliver estão na linha de frente da empresa, como diretora artística e diretor de butiques nos Estados Unidos, respectivamente. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Isto é Dinheiro), jornais (Valor Econômico), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers). 

Última atualização em 19/12/2013

Um comentário:

tonymeneses disse...

Amigo, gostaria que voce publicasse a historia da marca GRAAL, restaurante concorrente do Frango Assado. Um abraço e obrigado pelo seu blog maravilhoso.