29.5.06

CORONA


Cerveja com limão. Para os adoradores do líquido sagrado soa como uma heresia, mas para milhões de jovens do mundo inteiro isto significa CORONA. A cerveja, oriunda da terra da tequila, transformou-se em uma das mais consumidas do mundo, tornando-se a marca mais valiosa do México e extremamente influente entre os jovens, público com o qual construiu uma imagem associada à comemoração, festas e diversão. 

A história 
A CORONA foi introduzida no mercado mexicano como uma cerveja tipo Pilsner no ano de 1925 pela Cervecería Modelo, localizada na Cidade do México e fundada neste mesmo ano pelos imigrantes espanhóis Pablo Díez Fernández e Félix Aramburuzabala. No ano seguinte a cerveja começou a ser embalada em garrafa transparente (de 250 ml), atendendo a preferência popular, ao contrário de muitas outras da época, que eram engarrafadas em vasilhames de cor escura (âmbar). Durante anos a marca ganhou grande popularidade no mercado nacional mexicano com ações de marketing agressivas para época, como, por exemplo, anúncios em néon, patrocínios de festas e eventos, e distribuição de abridores e calendários para fixar a marca na cabeça do consumidor. Uma década após seu lançamento a CORONA já era considerada a melhor cerveja do país e a mais vendida. Um verdadeiro fenômeno. No verão de 1940, a marca foi relançada no mercado com o nome de CORONA EXTRA, tendo como novidade o rótulo impresso diretamente no vidro da garrafa, deixando o tradicional rótulo de papel para trás. Essa mudança concedeu modernidade à marca. Três anos mais tarde, os caminhões de entrega da cerveja carregavam cartazes com o slogan “The finest Beer”.


Na década de 1950, além de iniciar o patrocínio de equipes de futebol, a marca tentou ingressar no mercado americano. Porém, encontrou um enorme problema: o nome “Corona” estava registrado por uma cervejaria de Porto Rico desde 1957. Depois de uma longa batalha jurídica, em 1979 a empresa finalmente conseguiu o direito de utilizar a marca nos estados do Arizona, Califórnia, Novo México e Texas, que tinham grande população de imigrantes mexicanos e latinos. Foi vendida pela primeira vez na cidade de Austin no Texas em 1981. Em meados desta década, ocorreu a grande explosão de consumo da marca em território americano, que carregava o slogan “Change your whole lattitude”, principalmente com o lançamento da CORONA LIGHT, em 1989, uma cerveja com 30% menos calorias que a versão original, mas com o mesmo sabor refrescante, especialmente produzida e desenvolvida para o mercado americano (essa versão da cerveja só seria produzida pela primeira vez no México em 2007). Ainda nesta década, a cerveja foi introduzida no mercado canadense (em 1985), europeu (em 1989), sul-americano, caribenho e em alguns países da África.


Em 1990 CORONA foi lançada em grandes mercados consumidores de cerveja como Grécia, Holanda, Alemanha e Bélgica. No ano de 1997, CORONA alcançou o posto de cerveja estrangeira mais consumida e vendida no importante e enorme mercado americano, ultrapassando a tradicional holandesa Heineken; e CORONA LIGHT a segunda mais consumida em sua categoria, ultrapassando 450 marcas rivais. Em 2001 a marca passou a ser a quinta cerveja mais consumida do mundo. No ano de 2009, mais uma novidade: a cerveja CORONA LIGHT estreou no mercado americano em lata. Em 2013, com a total conclusão da aquisição do Grupo Modelo pela belga AB Inbev (que já havia herdado 50% da empresa ao comprar a Anheuser-Bush), a marca CORONA passou a fazer parte do portfólio da maior cervejaria do mundo. Assim, a CORONA foi destacada como uma das principais marcas globais do grupo, ao lado da belga Stella Artois e da americana Budweiser.


Em 2014 a CORONA foi lançada oficialmente no mercado brasileiro (antes era comercializada por importadores independentes). No ano seguinte a marca ganhou ainda mais reconhecimento internacional através do filme “Velozes e Furiosos 7”. Isto porque em diversas cenas protagonizadas pelo personagem Dominic Toretto, interpretado pelo ator Vin Diesel, lá estava ele com sua garrafa de CORONA nas mãos. Uma ação de merchandising certeira, principalmente entre o público mais jovem. Em 2016 a marca lançou, inicialmente no mercado mexicano, a CORONA CERO (a versão sem álcool da refrescante cerveja). A última grande novidade da marca mexicana, lançada em 2018 no mercado americano, atende pelo nome de CORONA PREMIER, a versão de baixa caloria da tradicional cerveja. Em 2020, a CORONA está lidando com uma grande crise de imagem e desinformação. Isto porque, ao redor do mundo, uma alta de buscas no Google revela que muitos indivíduos chegam a pensar erroneamente que o Corona vírus é oriundo da cerveja.


O segredo de sucesso da cerveja é sua característica equilibrada, refrescante e frisante, muito bem aceita em dias quentes ou em viagens para a praia, como foca o posicionamento da marca no mercado. Hoje em dia, a cerveja pode ser encontrada em várias embalagens, sendo as mais comuns: garrafa de 207/210 ml (conhecida como CORONITA), garrafa de 330 ml (a mais comum), garrafa de 355 ml (vendida no Brasil), garrafa de 940 ml (conhecida como BALLENA ou FAMILIAR e introduzida no mercado pela primeira vez em 1964), garrafa de 1.2 litros (conhecida como MEGA) e a lata (355 ml), mais comum no mercado americano.


O casamento da cerveja com o limão 
É comum na Europa, países latino-americanos, Canadá e Estados Unidos servir CORONA com um pedaço de limão no gargalo. No mercado mexicano é menos comum, a não ser nas áreas de grande concentração turística, especialmente as praias badaladas do país. A razão para a utilização do limão pode ser explicada devido à cor da garrafa (transparente) que ao ser exposta a luz faz com que a cerveja fique com um sabor “meio estranho”, utilizando assim o limão para mascarar o gosto esquisito da cerveja. Este enorme problema acabou tornando-se um dos fatores de maior sucesso da marca, extremamente consumida e associada ao clima tropical, paisagens paradisíacas, praias, férias e festas badaladas. Afinal, uma fatia de limão no gargalo reforça a acidez com suas doses cítricas transformando a experiência de se tomar uma CORONA um momento especial.


O marketing 
A principal marca mexicana de cerveja investe pesado em marketing, patrocinando diversos eventos musicais e esportivos, como por exemplo, lutas de boxe, corridas de automóveis, equipes de futebol, campeonatos de vôlei de praia até festivais musicais e festas. Além disso, grande parte da comunicação e ações da marca é voltada para o público jovem. Com um posicionamento que potencializa a ideia de “diversão, sol, praia e férias em uma garrafa”, a CORONA se tornou uma das marcas mais valiosas de cerveja do mundo. E como a praia é um de seus principais ambientes de consumo, a marca investe pesado na preservação ambiental. Um exemplo foi a campanha global Save The Beach, lançada em 2011. Afinal, CORONA não é apenas a cerveja das praias, mas também a que as protege. Essa ação era uma ampla iniciativa por cuidados ambientais nas praias através de comunicação, eventos e iniciativas locais, que buscavam conscientiza e incentivar a preservação desses locais naturalmente essenciais para a vida.


O combate à poluição marinha por resíduos plásticos é outra forte bandeira levantada pela marca, que surfa essa onda como ninguém. Por isso, em 2017, a marca anunciou a meta de limpar e proteger 100 praias ao redor do mundo até 2020, em parceria com a organização Parley For The Oceans, rede de combate à poluição marinha por lixo plástico. A campanha contra poluição marinha chegou a instalar máquinas especiais no Rio de Janeiro que trocavam garrafas plásticas por cerveja, CORONA é claro. Esse projeto global já recolheu mais de 2 mil toneladas de lixo plástico de praias de 15 países, engajando mais de 7 mil voluntários. CORONA tem uma enorme afinidade com as praias, tanto que o design de suas latas é inspirado no pôr-do-sol: o azul representa o oceano, amarelo o sol e branco o céu. Porém, nos dias de hoje, a poluição tem um resultado devastador: menos mar e praias para desfrutar. E se o oceano não é mais o mesmo, em 2019, a marca resolveu que sua embalagem (lata) no mercado mexicano também não deveria ser ao lançar a campanha “Losing Blue” (“Perdendo o azul” em português). As latas mudaram seu design para mostrar como as praias mexicanas estão poluídas. Após coletar dados sobre a poluição de cada praia do México, CORONA tornou isso visível em suas latas. Cada uma continha o nome de praia e seu nível de contaminação. Quanto mais água contaminada em cada uma das praias, menos azul nas latas. A chamada à ação foi simples: precisamos recuperar o azul do mar usando menos plástico.


A evolução visual
A identidade visual original da marca passou por algumas alterações ao longo dos tempos. A principal mudança foi o acréscimo de uma coroa (em espanhol “Corona”) como símbolo no logotipo. Segundo relatos, teria sido inspirada na tradicional coroa que adorna a Catedral de Nossa Senhora de Guadalupe, localizada na cidade de Puerto Vallarta.


Os slogans 
La vida más fina. (2020) 
Good friends. Good times. Good cerveza. 
Find Your Beach. (2010) 
From where you’d rather be. (2010) 
Refreshes who we are. (2010) 
Refresca Como Somos. (2010) 
Experience the Extraordinary. (2009) 
Corona Extra, the ultimate party beer. (2006) 
A Refreshing Slice of Life. (2005) 
Miles Away From Ordinary. (2000) 
Change your whole lattitude. (década de 1980) 
The only light beer that’s also a Corona. (Corona Light) 
La Cerveza Más Fina. 
Todo com medida. (México)


Dados corporativos 
● Origem: México 
● Lançamento: 1925 
● Criador: Cervecería Modelo 
● Sede mundial: Cidade do México, México 
● Proprietário da marca: Grupo Modelo S.A. de C.V. 
● Capital aberto: Não (subsidiária da Anheuser-Busch InBev N.V.) 
● CEO: Carlos Brito (AB Inbev) 
● Presidente: Cassiano De Stefano (Grupo Modelo) 
● Faturamento: US$ 2 bilhões (estimado) 
● Lucro: Não divulgado 
● Valor da marca: US$ 6.369 bilhões (2019) 
● Presença global: 180 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Maiores mercados: Estados Unidos, México e Canadá 
● Segmento: Cervejarias 
● Principais produtos: Cervejas 
● Concorrentes diretos: Miller Light, Budweiser, Bud Light, Heineken, Coors, Michelob, Sol, Dos Equis e Tecate 
● Ícones: A garrafa com limão 
● Slogan: Find Your Beach. 

O valor 
Segundo a consultoria britânica Interbrand, somente a marca CORONA está avaliada em US$ 6.369 bilhões, ocupando a posição de número 79 no ranking das marcas mais valiosas do mundo em 2019. 

A marca no mundo 
A marca CORONA é a cerveja mais vendida no México e uma das mais consumidas do mundo (mais de 33 milhões de hectolitros/ano), sendo comercializada em 180 países ao redor do planeta. A marca CORONA possui aproximadamente 12% do mercado americano de cervejas importadas (sendo também a quinta mais vendida no país), além de ser líder em sua categoria também em mais de 20 países ao redor do mundo. A marca CORONA é de propriedade da AB Inbev, mas a Constellation Brands detém os direitos da marca para venda nos Estados Unidos. 

Você sabia? 
Somente em 1967 foi lançado no mercado CORONA DRAFT BEER (chope). No mercado americano a versão chope, tanto EXTRA como LIGHT, foi lançada em 2013. 
CORONA é uma das marcas mais valiosas da América Latina. 
Na Espanha a cerveja é vendida sob a marca CORONITA, pois a palavra Corona é marca registrada de uma vinícola desde 1907. 
Geralmente as garrafas de CORONA são rejeitadas pela indústria da reciclagem por um simples motivo: o rótulo é impresso diretamente no vidro. 
Alguns bares e restaurantes espalhados pelo mundo servem o Coronarita, nada mais que uma margarita com uma garrafa de cerveja CORONA encravada em sua camada de gelo. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, BusinessWeek, Isto é Dinheiro e Exame), jornais (Meio Mensagem, Estadão e Valor Econômico), sites especializados em Marketing e Branding (Mundo do Marketing e Interbrand) e Wikipedia (informações devidamente checadas). 

Última atualização em 22/3/2020

35 comentários:

Anônimo disse...

Gostaria de aber a onde encontra a cerveja Corona aqui no Brasil, pois não encontro em nenhum grande mercado de São Paulo.

Anônimo disse...

Gostaria de representar a cerveja Corona, aqui em Búzios. Muitos asociados me pedem. Central de Compras

Anônimo disse...

Também gostaria de saber se há algum representante no Rio de Janeiro?

Anônimo disse...

Gostaria de saber que é o importador desta cerveja aqui no brasil ?

Anônimo disse...

Também gostaria de saber se há algum representante no Rio grande do sul?

Anônimo disse...

ola, gostaria de saber onde encontro a marca corona pra eu poder representa-la em minha cidade, estou abrindo uma chopperia e queria que a corona entrasse de igual pra igual com a brahma. aguardo resposta. muito obrigado.
meu email eh nandocalil@homtail.com

Anônimo disse...

Gostaria de saber se há algum representante da marca em Belo Horizonte e se ha alguma maneira de representar esta.

Atenciosamente,

Felipe da Cunha Pereira
felspereira@hotmail.com

Anônimo disse...

Preciso obter nºs de telefone, nomes, endereços de quem vende corona extra aqui no Brasil ou América do Sul, pois quero comprar alguns containers.
Atenciosamente.
Lia
l_go@terra.com.br

Unknown disse...

Por favor, preciso saber onde se compra Corona em Porto Alegre ou no Brasil, que mando trazer. É minha cerveja preferida, necessidade física. URGENTE! que já infernizei a vida de todo mundo que eu conheço por causa dela. Obrigada!

Anônimo disse...

Gostaria de ser o representante desta marca no Norte de Minas e talvez de toda as Minas Gerais. Contato: marceloboi@msn.com

grato

Unknown disse...

Gostaria de representar a cerveja Corona, aqui em pIRACICABA sp. Muitos asociados me pedem. Central de Compras TELEFONE
OBRIGADO

Anônimo disse...

Tambem gostaria de saber onde encontro a cerveja Corona aqui no Rio Grande do Sul, mais precisamente em Caxias do Sul?


Lucas
Lucasafontana@yahoo.com.br

Anônimo disse...

oi, sou de minas estou abrindo uma choperia e queria vender corona. por favor me passe o e-mail do contato. obrigado.
danilo_souza751@hotmail.com

Unknown disse...

http://www.eicomm.com.br

http://www.ibeer.com.br

.: Retratos da Vida .: Claudia :. disse...

Gostaria muito de comprar e so beber a cerveja Corona, porem eu nao encontro para comprar. Moro em Sao Paulo, uma grande capital, como e possivel nao encontrar esta cerveja? por favor me ajudem, onde posso comprar a cerveja em Sao Paulo?
Grata
Claudia
cmitt@uol.com.br

santanna disse...

Estou montando um restaurante mexicano na Região dos Lagos e gostaria de poder oferecer aos clientes a CORONA .
Solicito contato para compra do produto .

BOAS FESTAS !!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Como todos os comentários acima, gostaia de saber onde posso comprar a cerveja Corona em São Paulo.

Obrigado.

Anônimo disse...

Também gostaria de saber onde posso comprar a cerveja corona em São Paulo, não encontrei em lugar algum. Se alguém souber???

Obrigada!

taina_stella@yahoo.com.br

GABI disse...

OLÁ!gostaria de saber onde encontro essa cerveja no rio!RÁPIDO!

maria disse...

Oi, alguem ai conseguiu descobrir onde vende corona em Belo horizonte, por favor me informem onde posso encontrar.

Obrigada,

Anônimo disse...

olá, meu nome é Serginaldo Gomes, tenho uma empresa de representação em Salvador. No passado já representei a cerveja Corona atravez da Arisco Alimentos. Gostaria de ter o prazer de representa-lá mais uma vez para o mercado cervejeiro aqui na Bahia. Aguardo contato! e-mail : poloexcargas@yahoo.com.br
serginaldogiovanna@hotmail.com
Tel: 071 87420100

Anônimo disse...

Gostaria de representar a Corona na região Sudeste do Brasil
Aguardo contato - e.mail: orlandoroz@uol.com.br
São Paulo
Telefone - 11-45819793

Anônimo disse...

Então pessoal quem estiver precisando de corona,eu sou da importadora anunciada representante da cerveja corona aqui em são paulo mais detalhes meu e-mail é celio_moe@yahoo.com.br

Anônimo disse...

Gostaria de comprar a cerveja corona em quantidades grandes containers.
Preciso do endereco e contato de quem voce me vender, aqui no Brasil

Atenciosamente,
Vanessa

vanalvim1@hotmail.com

Anônimo disse...

ola gostaria de saber cade as respostas dos comentarios?

Obrigado

Unknown disse...

Queria saber onde vende corona em São Paulo !

Obrigada.

Unknown disse...

Boa tarde, atendo restaurantes e bares fornecendo bebidas nacionais e importadas, e quero saber como faço pra ter a COrona em meu portifólio de produtos. vendas@novaadega.com.br Paulo Peleje

Web Beer disse...

olá Tenho Cerveja Corona Long neck cx 24uni só vendo de caixa email Carlinhosbacker@hotmail.com

Anônimo disse...

Olá,

Meu nome é Michelle e gostaria muito de saber onde encontrar Corona em Bauru.....ou nas proximidades.

Muito obrigada.

Anônimo disse...

no rio de janeiro tem CORONA no SAM`S CLUB em zona norte.

Anônimo disse...

Pelo amor de Deus! A que ponto chega a burrice humana! Isso aqui é um site para termos conhecimento sobre as principais marcas. Vcs tão querendo saber onde compra postando comentário aqui? Me admira mais ainda gente querendo ser representante comercial e procurando por aqui também. Fiquei pasma.

Carlos Augusto disse...

Boa Virginia, confesso que experimentei a Corona hoje, até pela dificuldade de se encontrar no mercado. Mas sou um grande apreciador de cervejas. Desde as IPA até as tradicionais que no Brasil são pura enganação. O pessoal já está querendo se arrumar por aqui. É demais. Rs.

Unknown disse...

Eu experimentei hj
Minha primeira cerveja foi essa coronita. Confesso que é algo novo. O gosto é diferente do que estou acistumado a beber, mas mesmobassim cinsegui beber a garrafa toda rsrsrs
Comprei aqui no Estácio no Centro do Rio de Janeiro....

Unknown disse...

Qual o animal q está na logomarca é um grifo?

Unknown disse...

Uma das melhores se Não a melhor cervejas q já tomei.