14.6.06

ESTRELA


Sempre em busca de novidades para proporcionar muita alegria e diversão, a ESTRELA se tornou uma marca ícone na infância de milhões de brasileiros, fazendo parte do imaginário de gerações e gerações de crianças. Afinal quem não se lembra das divertidas corridas de Autorama, do viciante Genius, do carro de controle remoto Colossus, do boneco Falcon, das divertidas bonecas Susi e Bate-Palminha ou do jogo Banco Imobiliário, que fizeram, e muitos deles ainda fazem, enorme sucesso entre a garotada, despertando as mais deliciosas lembranças em muitos marmanjos. Afinal, seja uma boneca, um carrinho, um jogo ou uma figura de ação, cada brasileiro guarda um espaço especial no coração para momentos da infância compartilhados com um dos produtos da fabricante de brinquedos mais amada do país. 

A história 
A mais tradicional e conhecida empresa de brinquedos do mercado brasileiro surgiu no dia 27 de julho de 1937 quando o alemão Siegfried Adler vislumbrou em uma pequena fábrica falida de bonecas de pano e carrinhos de madeira, localizada no bairro do Belém em São Paulo, uma oportunidade de negócio e decidiu comprá-la. A primeira boneca lançada pela nova empresa media 38 cm, tinha corpo de tecido e rosto de massa inquebrável. Foi um grande sucesso. Já na próxima década a empresa apresentou o cachorro Mimoso: o primeiro brinquedo de fabricação brasileira feito em madeira que se movimentava e produzia som. Mas a grande “jogada” da ESTRELA foi conseguir licenciar o jogo de tabuleiro mais famoso do mundo, o Monopoly, criado em 1935, e lançá-lo no mercado brasileiro em 1944 com o nome de Banco Imobiliário. Foi outro enorme sucesso (ainda hoje é diversão certa para adultos e crianças) e o nome BRINQUEDOS ESTRELA ficou rapidamente conhecido pelo país. E também lançou o Pega Varetas, um jogo simples cuja dinâmica consistia em remover as varetas de acordo com as cores sem derrubar ou mexer as que estavam próximas. É também dessa década o lançamento de massa de modelar, a Super Massa, em 1946.


As bonecas, que até o final dos anos de 1940 eram feitas em uma massa inquebrável, passaram a ser de plástico a partir da Pupi, uma boneca de 35 cm totalmente articulada e que fechava os olhos, uma grande inovação para a época, lançada no início da década de 1950. Nesta época também surgiu o Bebê Que Anda (1951), uma das primeiras bonecas com movimento, que andava graças a uma engrenagem de ferro. Em seguida vieram os bichinhos e bonecos de vinil, mais flexíveis, indicados para crianças pequenas e bebês. Como uma empresa familiar, com a morte do seu fundador, em 1958, a esposa de Siegfried assumiu a presidência, pois o filho do casal, Mário, encontrava-se nos Estados Unidos. Foi ela a responsável pelo lançamento de brinquedos elétricos na década seguinte, dentre os quais Auto-Rama (era escrito assim na época), que com suas pistas de corrida e carrinhos desafiava a habilidade dos garotos. O nome Autorama passou, em razão do enorme sucesso do produto, a ser sinônimo de brinquedos ligados à velocidade com direito, inclusive, à citação no Dicionário Aurélio.


Quando terminou os seus estudos nos Estados Unidos, Mário Adler voltou para o Brasil e, em 1964, com aproximadamente 19 anos, tornou-se presidente da ESTRELA. Tendo nas mãos uma empresa consolidada no mercado, ele procurou manter o seu desenvolvimento buscando modernizá-la com novas ideias e com a ajuda do marketing. Assim, enfatizou o reconhecimento da sua marca através de ampla divulgação em eventos, feiras nacionais, internacionais e programas de TV. Com isso, a ESTRELA se transformaria no maior anunciante do país, tanto em mídia impressa quanto em propaganda para a televisão. Nesta década a linha de produtos foi ampliada com lançamentos inovadores como a primeira boneca mecânica (Gui Gui), que sorria quando abria e fechava seus braços, a Beijoca, que “soltava beijinhos” e a Amiguinha, que ficou famosa por seu tamanho - 90 centímetros. A ESTRELA introduziu também outro conceito de grande sucesso, a boneca fashion (fashion doll) - que andam na moda, se vestem como adultas e têm acessórios de vestuário - com o lançamento da SUSI, inspirada na Barbie americana, que foi extremamente popular por diversas gerações de meninas brasileiras até 1985, quando deixou de ser fabricada, tendo vendido mais de 20 milhões de unidades. Algumas bonecas temáticas foram lançadas nessa década, tal como Mary Poppins (1966), baseada na personagem principal do admirável filme de Walt Disney de mesmo nome.


Na década de 1970 a empresa lançou, entre outros tantos brinquedos, as bonecas Flexy (1970), uma mini boneca totalmente flexível; Feijãozinho (1973), bonecas e bonecos que tinham carinha de sapeca e corpo confeccionado em tecido lavável - feitos especialmente para as crianças abraçarem; Emília (1978), famosa personagem do Sítio do Pica-Pau Amarelo; e o boneco Beto, que viria a se tornar o grande namorado de Susi. Houve também o lançamento do boneco do ratinho Topo Gigio, personagem de um programa de TV na época, que fez um estrondoso sucesso. A ESTRELA também passou a trabalhar o conceito de figuras de ação. Essa categoria teve seu marco com o lançamento em 1977 do FALCON, o primeiro boneco para meninos. O grande sucesso dessa coleção foi Falcon Olhos de Águia, que movimentava os olhos, quando apertado um botão localizado em sua nuca. Em seguida surgiram os carros de controle remoto, que teve o STRATUS como primeiro modelo.


Em 1980, mais um marco do pioneirismo da ESTRELA: o GENIUS, conhecido na época como “o computador que fala”, primeiro brinquedo eletrônico do país. Foi seguido pelo Merlin (1981), outro jogo eletrônico que marcou época, cujo formato imitava um telefone sem fio para a criança acessar 6 jogos através dos botões do painel. A eletrônica foi incorporada também às bonecas, que passaram a ser mais interativas, como por exemplo, a Bate Palminha, que cantava quando suas mãos se juntavam; a Amore (1986), primeira boneca eletrônica do Brasil; e a Tchibum (1986), boneca que “nadava” de verdade, quando colocada na água. Além disso, os cabelos das bonecas passaram a ser feitos de náilon a partir de 1985. A ESTRELA lançou também veículos bacanas como o Dragão (1987), um monster truck que conseguia transpor obstáculos; e o Trombada, o carro que amassava e desamassava em segundos. Ainda ao longo desta década, com o sucesso das séries de TV entre os garotos, novas figuras de ação foram lançadas, dentre elas os famosos Comandos em Ação, Batman, Superman, He-Man e a linha completa de Star Wars. Em 1991 a empresa lançou outro enorme sucesso de vendas: a Patrulha do Focinho, uma turma de cachorrinhos de pelúcia que mudavam de feições, assim como prometia o slogan “Nós brincamos de proteger você”.


Mesmo com todo o sucesso conquistado por seus produtos ao longo das décadas anteriores, a ESTRELA enfrentou momentos de crise a partir do início dos anos de 1990. A empresa sofreu um forte abalo com o processo de abertura do mercado brasileiro, que atingiu não somente a ela, mas toda a indústria de brinquedos do país. Além disso, a chegada dos produtos chineses e a enorme quantidade de produtos falsificados e contrabandeados nesse setor contribuíram para reforçar ainda mais os péssimos resultados alcançados pela empresa. Outro ponto que favoreceu essa crise foi o rompimento com a Mattel que, após uma batalha judicial, retirou o direito da empresa de produzir a Barbie, ícone do segmento de bonecas. Mas a ESTRELA não se deixou abater e é isso que a configura até hoje como uma empresa de sucesso. Em 1992, apostando na qualidade, a ESTRELA foi a primeira empresa do segmento a receber a certificação ISO 9002 na produção de seus brinquedos, nas suas instalações e nos serviços prestados. Além disso, no ano de 1993, recebeu a Marca Nacional de Conformidade entregue pelo INMETRO - Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia. Outro procedimento técnico que visava preservar a integridade física e diminuir os riscos de acidentes nas crianças. Carlos Tilkian, que assumiu a presidência da empresa em 1996, encontrou formas de enfrentar e sair da crise, contando com a ajuda da força que a marca ESTRELA representava no mercado nacional.


As bonecas Susi, que não eram fabricadas há mais de 10 anos por causa da chegada da Barbie, voltaram ao mercado em 1997. Além disso, alguns clássicos como Banco Imobiliário, Detetive, Jogo da Vida e Combate tiveram a sua categoria reforçada com a chegada dos jogos inspirados em populares programas de TV como o Show do Milhão, o Big Brother Brasil e No Limite. Em meio às todas essas dificuldades a empresa aprendeu a usar tecnologia e componentes chineses para renovar produtos antigos e competir ainda com a internet e os jogos eletrônicos. Com essas medidas, nos anos seguintes a empresa obteve um crescimento gradativo, superando aos poucos a grave crise, que contou com a modernização de sua linha de produtos, o relançamento de grandes clássicos e principalmente a constante inovação, traduzida pelos inúmeros lançamentos que a ESTRELA faz todos os anos. Carro movido a energia solar, helicóptero controlado pelo iPhone, carrinho de controle remoto com sensor e boneca Susi com realidade aumentada estavam entre as novidades lançadas pela ESTRELA para continuar conquistando uma nova geração de consumidores. Além disso, a empresa apostou na migração de alguns de seus jogos clássicos, como Detetive e Cara a Cara, para aqueles que pudessem ser jogados em novas mídias, como o iPad. Entre os relançamentos, ferramenta de marketing adotada pela empresa para resgatar fãs saudosistas, estavam jogos que fizeram sucesso nas décadas de 1980 e 1990, como por exemplo, Boca Rica, Morcegos Equilibristas e Guerra das Aranhas.


Depois de sobreviver ao ataque dos brinquedos chineses e à concorrência dos videogames, a ESTRELA utilizou a força das redes sociais (que cumprem o papel de ajudar a resgatar os admiradores de seus brinquedos clássicos) para reinventar seu negócio e retornar à trajetória de crescimento. Nos últimos anos, em vez de jogar a toalha, a empresa foi reconquistando pouco a pouco o terreno perdido. O mais curioso dessa história é que a recuperação se deu graças à China, de onde passou a importar produtos de maior valor agregado, e ao mundo virtual com seus milhares de fãs saudosistas. Uma das linhas que a empresa mais investiu foi a PIM PAM PUM, para a primeira infância, da qual fazia parte o cachorro Xereta (que com suas patinhas ágeis sai farejando tudo, estimulando assim a coordenação motora e o raciocínio lógico da criança) e Brincando de Motorista (pequeno painel de carro com volante). De quebra-cabeças a releituras de personagens da Disney, a ESTRELA também investiu em produtos voltados tanto para o entretenimento quanto para o hobby de colecionar. Para crianças e adultos fãs de cultura pop e arte foi criada a linha de quebra-cabeças com obras assinadas por Tarsila do Amaral, Gustavo Rosa e Cândido Portinari, além de imagens icônicas dos Beatles. Cada tema tinha três quebra-cabeças diferentes (500, 1.000 e 2.000 peças).


A empresa também investiu na ESTRELA BABY, marca para a primeira infância (0 a 3 anos), que continuou sua trajetória de sucesso com brinquedos super coloridos que ensinam os pequenos a contar, encaixar, montar e criar enquanto brincam. Em 2017 a ESTRELA comemorou seus 80 anos levando diversão nostálgica aos brasileiros. Isto porque a empresa relançou alguns de seus brinquedos clássicos como o icônico boneco Falcon, bonecas como Moranguinho e Fofolete, e jogos de tabuleiro como versões retrô de Banco Imobiliário e O Jogo da Vida. Até mesmo o famoso Ferrorama (nas versões XP100 e XP300) e o carrinho Pé na Tábua (lançado no início dos anos de 1970 para aproveitar o sucesso de Emerson Fittipaldi na Fórmula 1 e que para brincar bastava pisar fundo no pedal fole e carro saía em disparada) voltaram. Outra novidade foi o ingresso no segmento de veículos movidos a bateria com o lançamento do Dareway, veículo de duas rodas com guidão movido a eletricidade.


Além disso, como parte de sua estratégia para se manter relevante neste século digital, em 2019 anunciou a criação da Estrela Cultural, uma editora que propõe uma nova experiência de leitura ao misturar histórias, jogos e brinquedos. Por exemplo, A Volta ao Mundo em 80 Dias, de Julio Verne adaptado por Beto Junqueyra e ilustrado por Danilo Tanaka, vem em uma caixa parecida com a de um jogo que contém, além do livro, uma ampulheta e sete desafios para serem feitos durante a leitura. Mais uma vez a ESTRELA saía na frente de outras editoras que tentavam, mas tinham dificuldade de ingressar nas lojas de brinquedo - só recentemente algumas dessas lojas começaram a criar espaços para livros. Outro lançamento importante foi o Super Kit Slime, que vem com todos os ingredientes e apetrechos (dois frascos de cola transparente; frasco de ativador; 4 potes de tinta guache colorida - rosa, laranja, azul e amarela; pote de glitter; saco com olhinhos; duas tigelas; dois potes de plástico com duas tampas; dois palitos de madeira; copo dosador e uma pipeta) para criar a divertida geleca. E também apostou em uma linha de bichos de pelúcia com licenças de personagens famosos como Masha e o Urso, O Show da Luna, Peppa Pig e Marvel.


A linha do tempo 
1963 
Lançamento do AUTORAMA, as famosas pistas de corridas que divertiram gerações de garotos. Ao longo dos anos o brinquedo foi endossado e assinado por grandes pilotos brasileiros como Emerson Fittipaldi, José Carlos Pacce, Nelson Piquet, Ayrton Senna e Rubens Barrichello, o que lhe rendeu enorme apelo e vendas altas. Já foram comercializadas mais de 5 milhões de unidades. 
1966 
Lançamento da boneca SUSI, que se tornou a principal rival da Barbie no mercado. No início da década de 1970, o formato da boneca foi se transformando e seus materiais sendo aprimorados. Foi nesta época em que ela adquiriu olhos plásticos e cintura que se movia. A SUSI foi relançada em 1997, após doze anos fora do mercado. Desde seu lançamento a boneca já possuiu mais de 1.000 versões diferentes que traduziram ou ainda traduzem o sonho e o perfil de milhões de meninas brasileiras. 
1973 
Lançamento do FERRORAMA, uma ferrovia que vinha com locomotiva a vapor ou locomotiva elétrica (ou ambas dependendo do kit), e vários vagões acoplados, como por exemplo, de carvão, carga, combustível e passageiros. As locomotivas eram movidas com duas pilhas de tamanho médio de 1,5 volts cada. A primeira geração do Ferrorama foi inspirada na Locomotiva Real, conhecida como D-51 e é de origem japonesa. A comercialização foi encerrada em 1989 com mais de 2 milhões de unidades vendidas, mas a ESTRELA relançou um de seus brinquedos mais famosos em agosto de 2010, após insistentes pedidos de fãs saudosistas. 
1974 
Lançamento do jogo de tabuleiro COMBATE (inicialmente conhecido como FRONT), cujo objetivo é capturar a bandeira adversária, que atualmente foi substituída por um prisioneiro. 
1975 
Lançamento do jogo FOGO CRUZADO, que consiste em um campo de madeira com um gol de cada lado e um revólver que dispara bolinhas de ferro, e cujo objetivo é empurrar a bolinha maior até o gol do adversário. 
Lançamento da JAMANTA COMANDO ELETRÔNICO, um caminhão cegonha que transportava quatro modelos nacionais bastante populares na época: um Passat amarelo, um Puma GT vermelho, um Maverick verde e um Chevette branco. Foi o primeiro carrinho (ou caminhãozinho) da empresa com controles de direção eletrônicos. 
1976 
Lançamento do jogo CAI NÃO CAI, onde os participantes testam seu senso de equilíbrio e sua agilidade tirando as varetas sem deixar as bolinhas caírem. 
Lançamento da boneca PEPA, que ficou conhecida mesmo em 1978 como a companheira da personagem Carminha (Pepita Rodrigues) na novela Dancin Days. 
1977 
Lançamento do FALCON, uma das primeiras figuras de ação produzidas no Brasil. O boneco tinha cerca de 30 cm, cabelo e barba de verdade, articulações no pescoço, braços, cintura e pernas, além de contar com uniformes para vários tipos de missões, veículos e uma infinidade de acessórios. Apesar do aspecto militar FALCON era um aventureiro e essa vocação se firmaria ao longo dos anos. Em 1978 surgiria o FALCON loiro, já com roupas não militares. No ano seguinte foi lançada a versão “Olhos de Águia”. A partir de então todos os bonecos viriam com uma alavanca na nuca, que acionada, mexia os olhos. Nesse mesmo ano apareceria a versão ruiva. 
Lançamento do DETETIVE, jogo desenvolvido sobre um tabuleiro que simula uma mansão, com vários cômodos e objetos, cujo objetivo é descobrir qual dentre seis suspeitos, dentre seis armas e dentre nove aposentos estão envolvidos em um crime de assassinato (o que permite 324 soluções possíveis). A empresa também lançou algumas versões alternativas como Detetive Mirim, Simpsons (onde era possível matar com uma rosquinha), Turma da Mônica e Bob Esponja. 
Lançamento do AQUAPLAY, um brinquedo divertido que consistia em um pequeno recipiente de plástico transparente vedado e cheio de água, no qual através de botões era acionado um mecanismo a fim de realizar as tarefas do jogo, que variavam de acordo com o modelo. Por exemplo, um golfinho que deveria encaixar todas as argolas em um espeto; ou ainda, uma bola de basquete que deveria passar dentro da cesta. 
1978 
Lançamento do PULA PIRATA, um jogo cujo objetivo principal é espetar espadas em um barril onde há um pirata dentro e torcer para ele não pular. 
1979 
Lançamento do STRATUS, primeiro carro de controle remoto fabricado pela empresa. O automóvel era uma réplica do Lancia Stratos, em uma versão preparada para Rali, que acendia faróis de milha na frente, tinha marcha ré e até ronco no motor. Deixou de ser produzido em 1983. 
Lançamento da boneca BAILARINA, que com seu vestidinho, meia-calça e sapatilhas girava como uma bailarina quando a criança dava corda. 
1980 
Lançamento do GENIUS, primeiro brinquedo eletrônico do mercado brasileiro. O brinquedo tinha o formato de um disco colorido. A cada jogada o aparelho emitia um som e acendia uma das quatro cores e o objetivo era fazer com que o jogador acertasse a sequência apresentada. Em pouco mais de um ano o brinquedo vendeu mais de 500 mil unidades. O GENIUS foi relançado em 2012 e já vendeu mais de 3 milhões de unidades. 
Lançamento da boneca BATE PALMINHA, que cantava “parabéns a você” e batia palmas. Foi uma verdadeira sensação, tanto que, ao longo dos anos, ganhou várias versões com cabelos e roupas diferentes. 
1982 
Lançamento do AR-TUR, um robô de controle remoto que se tornou um enorme sucesso de vendas. 
1983 
Lançamento da coleção MEU QUERIDO PÔNEI, onde cada um tinha um símbolo e um nome diferente: Algodão Doce, Caramelo, Torrãozinho, Graminha, entre outros. Além dos pôneis havia vários acessórios como casa, carruagem, cascata, cercados e escova para pentear a crina e o rabo. 
Lançamento da MORANGUINHO, uma bonequinha que tinha aroma de morango. Pouco depois foram lançadas outras bonequinhas com cheirinho de várias frutas, como por exemplo, uvinha, pesseguinho, goiabinha, cajuzinho, limãozinho, maçãzinha, cerejinha, bananinha, laranjinha e até cafézinho. 
1984 
Lançamento do PÉGASUS, um carro de controle remoto que se baseava no fantástico BMW M1, disponível nas versões prata e ouro. O carro chagava a 20km/h e o alcance do controle era de 30 metros. 
Lançamento do BOCA RICA, um divertido brinquedo que iria se tornar um clássico. Os jogadores recebem moedas que vão sendo inseridas no cofre e fazem sons divertidos. O jogador cuja moeda abrir a porta do cofrinho vence a partida. 
1985 
Lançamento do jogo de tabuleiro CILADA, onde o objetivo é escolher um dos quebra-cabeças e tentar encaixar as peças sem cair em uma grande cilada. 
Lançamento do jogo PINOTE, no qual é preciso colocar vários objetos (pá, corda, cantil, ferradura, chapéu) pendurados na sela sem o cavalo dar um pinote. 
Lançamento da boneca Quem-me-quer, feita de material macio, que vinha pronta para dar e receber abraços. 
Lançamento do COLOSSUS, terceiro veículo de controle remoto produzido pela empresa. O carro era uma réplica da segunda geração da picape Chevy, que fez sucesso nos Estados Unidos devido ao seriado The Fall Guy (no Brasil, Duro na Queda). O veículo era cheio de detalhes, como por exemplo, quebra-mato na frente do radiador e faróis de milha no teto. Tinha duas opções de tração: 4x2 (de maior velocidade - para pisos lisos) e 4x4 (mais lenta - usada em rampas bem íngremes e pisos irregulares), que eram selecionadas por um botão na parte inferior do carro, perto do compartimento de pilhas. O brinquedo saiu de linha em agosto de 1990. 
Lançamento dos COMANDOS EM AÇÃO (conhecidos nos Estados Unidos como G.I.Joe), bonecos mais articulados que qualquer outra figura de ação da época, e que a primeira vista lembravam o Falcon, só que bem menores (aproximadamente 9 cm). Os bonecos vinham com acessórios como armas, capacetes, rádio-transmissores e viseiras. Veículos eram vendidos separadamente. Em seu primeiro ano foram disponibilizados apenas um jipe, uma moto, lança-mísseis e seis bonecos. 
Lançamento da AMBULÂNCIA DO DOUTOR SARA TUDO, um furgão em miniatura que ao se retirar a tampa lateral havia um consultório médico completo, com maca, seringas, tesouras, aparelho de raio-x, gesso e até um paciente, para ser hospitalizado. O brinquedo foi o primeiro a fazer com que as crianças tivessem contato com a atividade médica, ainda que de maneira simplificada. 
Lançamento do MEU BEBÊ, uma das bonecas mais famosas da empresa. A cada ano a boneca, que continua com o mesmo rosto, ganha uma nova roupa. 
Lançamento do jogo de tabuleiro BLEFE DE MESTRE, no qual é preciso escolher uma das frases escritas nas 100 cartas, para que os jogadores completem do jeito que quiserem. Cada jogador escreve uma resposta no seu bloquinho especial, sem deixar que os outros vejam. Depois, todos terão que adivinhar quem é o autor de cada resposta. 
1986 
Lançamento do JOGO DA VIDA, que já vendeu mais de 5.5 milhões de exemplares em todas as suas versões. Em 2011, para comemorar 25 anos, o jogo ganhou novos atrativos. Passar no vestibular, seguir em uma carreira, casar, ter filhos e chegar ao fim com muitas riquezas acumuladas continuam fazendo parte do percurso do tradicional tabuleiro, mas agora ele tem uma roleta eletrônica que também serve de máquina de cartão de crédito e débito para realizar as transações financeiras do jogo. 
Lançamento do MAXIMUS, um carro de controle remoto com a aparência de um buggy fora de estrada, com as rodas traseiras mais grossas do que as dianteiras. Após ter saído de linha em 1991, foi relançado em 2005 devido aos insistentes pedidos dos fãs. 
Lançamento do CARA A CARA, um jogo de tabuleiro baseado no Guess Who?. No jogo há um conjunto com 24 retratos diferentes que são sorteados para cada participante e, que por meio de perguntas, devem adivinhar a “carinha” do adversário. 
Lançamento do cachorro SNIF SNIF, cujo material macio e o slogan “O cachorrinho que precisa de colinho” eram um convite para encantar a meninada. 
1987 
Lançamento do POGOBOL, uma bola resistente com uma haste fixa em torno cujo objetivo é prensá-la entre os pés e pular até cansar. Em pouco mais de três anos o brinquedo vendeu mais de 800.000 unidades. 
1988 
Lançamento da MENINA-FLOR, uma boneca feita de pano (parecia com um fantoche) que ao ser virada ao avesso se transforma em um jarro de flores. 
Lançamento do jogo GUERRA DAS ARANHAS, onde em uma teia aranhas jogadores travarão uma disputa por espaço e aquela que não se cuidar pode cair. 
1989 
Lançamento do jogo TAPA CERTO, no qual é preciso pegar imagens (cartas redondas) com mãozinhas que possuem ventosas. 
1990 
Lançamento da florzinha dançante Dancin’ Flor, que foi uma verdadeira febre entre a criançada. Através de um dispositivo sensível a som, ela dançava de óculos escuros e guitarra no embalo dos sucessos daquela época. 
Lançamento da BATATA QUENTE, versão repaginada da clássica brincadeira de rua. 
1991 
Lançamento da GALINHA MALUCA, que agitava as asas e fazia maior barulho quando não pegava os ovos com cuidado. 
Lançamento do PULA MACACO, um jogo onde com a ajuda de um trampolim o participante deve pendurar macaquinhos em uma árvore no centro de uma mesa. Ganhava a partida quem posicionasse primeiro todos os seus macacos na árvore. 
1994 
Lançamento do TRONY, um simpático robô de 40 cm que possuía diversas funções como botões dos jogos; braço mecânico de arremessos; sensor de jogo de basquete; botão de cócegas; e lanterna do nariz. Ele ainda falava enquanto interagia com as crianças. 
1996 
Lançamento da SAPEQUINHA, a primeira boneca a utilizar a fibra ótica, uma inovação que permitia reconhecer a presença das pessoas e, como ela não gostava de ficar sozinha, chorava e pedia colinho. 
2001 
Lançamento do jogo SHOW DO MILHÃO, inspirado pelo grande sucesso do programa transmitido pelo SBT, que vendeu mais de 1 milhão de unidades em suas três versões. 
2010 
Lançamento do SUPER BANCO IMOBILIÁRIO, que ao invés de cédulas (como na versão original), utiliza uma maquininha semelhante à usada para processar operações de débito e crédito.


A casa dos sonhos 
Inaugurada em janeiro de 2001, durante quase seis anos, a Casa dos Sonhos Estrela proporcionou a seu público uma divertida viagem pelos quase 70 anos de história e sucesso da empresa, mostrando os brinquedos que fizeram parte do sonho de milhões de crianças no Brasil. Localizada em um belo casarão próximo ao Parque Ibirapuera em São Paulo, o museu possuía ambientes decorados e temáticos com produtos que fizeram enorme sucesso, como o Espaço Susi, que trazia uma réplica da tradicional boneca de 1.80 metros de altura e outras vestidas por celebridades e estilistas. Além disso, contava a história e evolução das amadas bonecas produzidas pela empresa. Durante o período em que esteve aberta foi um dos pontos mais visitados por turistas em São Paulo, tendo recebido mais de 250 mil pessoas. Era uma opção de entretenimento para crianças e adultos, que ali podiam voltar à infância e ter boas recordações. Infelizmente foi desativada em julho de 2006.


Campanhas que fizeram história 
“Toda criança tem uma Estrela dentro do coração”. Essa frase, que fez parte do jingle criado em 1987 por Luiz Orchestra, para uma campanha do Dia das Crianças da marca desperta muitas recordações àqueles que eram crianças na década de 1980 e revela a importância da empresa no setor brasileiro de brinquedos. Entre as crianças participantes do comercial está Amanda Acosta, que no ano seguinte tornou-se integrante do grupo infantil Trem da Alegria.

     

A letra do famoso e inesquecível jingle pode ser lida abaixo: 

A Estrela é nossa companheira, nossa brincadeira, nossa diversão. 
A Estrela entende a gente, traz sempre pra gente uma nova invenção. 
Todo segredo, de um brinquedo, vive na nossa emoção. 
Toda criança, tem uma Estrela, dentro do coração. 

Meu Querido Pônei, Sapeca e Bambina, 
Moranguinho e sua coleção. 
Ponte Car, Ping Pork, Comandos em Ação, Jogo da Operação 
He-Man, Tremelique, Escolinha da Moda, Chuquinha, Trombada e Dragão. 
E os Super Powers protegem a Barbie, a estrela da constelação. 
Todo segredo de um brinquedo, vive na nossa emoção. 
Toda criança tem uma estrela, dentro do coração. 

A Estrela estrelando, brincando com a gente, e a gente brincando feliz. 
A vida é um sonho, e o sonho é da gente, criança estrelando feliz. 
Todo segredo de um brinquedo, vive na nossa emoção. 
Toda criança tem uma estrela, dentro do coração. 
Toda criança tem uma estrela, dentro do coração.


A evolução visual 
A identidade visual da marca passou por algumas remodelações em sua história. O logotipo original já apresentava o símbolo de uma estrela de quatro pontas bastante semelhante ao da OTAN, uma espécie de rosa-dos-ventos. Depois de passar por remodelações, foi somente em 1958 que a marca adotou um logotipo com o formato que se tornaria popular (utilizado até hoje). Em 1964, mesmo que de forma reduzida, a marca adotou em seu logotipo as cores vermelha e azul. Foi no ano de 1976 que surgiu o logotipo muito semelhante ao atual. Esse logotipo passou por uma modernização em 1997.


Os slogans 
A marca da diversão. 
Esse é meu brinquedo. 
Toda criança tem uma estrela dentro do coração. (1987) 
Só falta você nessa aventura. (anos de 1980) 
Tinha que ser da Estrela. (anos de 1970) 
O amor tem razões que só a estrela conhece.


Dados corporativos 
● Origem: Brasil 
● Fundação: 27 de julho de 1937 
● Fundador: Siegfried Adler 
● Sede mundial: São Paulo, Brasil 
● Proprietário da marca: Manufatura de Brinquedos Estrela S.A. 
● Capital aberto: Sim (1944) 
● Presidente: Carlos Antônio Tilkian 
● Faturamento: R$ 112.1 milhões (2019) 
● Lucro: - R$ 40.8 milhões (2019) 
● Valor de mercado: R$ 26.4 milhões (maio/2020) 
● Presença global: 10 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 700 
● Segmento: Brinquedos 
● Principais produtos: Bonecas, jogos, carrinhos e brinquedos eletrônicos 
● Concorrentes diretos: Grow, Gulliver, Lider, Mattel, Hasbro, Playmobil e Lego 
● Ícones: A estrela de quatro pontas 
● Slogan: A marca da diversão. 
● Website: www.estrela.com.br 

A marca no mundo 
A ESTRELA, maior produtora de brinquedos do mercado brasileiro, possui uma linha com mais de 500 produtos entre itens tecnológicos, jogos de tabuleiro, bonecas, pelúcias, brinquedos pré-escolares, massas de modelar e figuras de ação, encontrados em mais de 8.000 pontos de venda no país. Responsáveis por 70% do faturamento, os jogos, bonecas e linhas de massa de modelar são os carros-chefe da empresa, que incluem ainda, entre outras categorias, bichos de pelúcia da Peppa Pig e de outros personagens licenciados da Disney. A ESTRELA tem nove entre os 15 jogos mais vendidos no país. Se forem computados somente jogos infantis, a empresa tem nove entre os dez mais. A ESTRELA também exporta seus produtos principalmente para os Estados Unidos, América Latina e Europa, mas em quantidades muito baixas. A empresa possui três fábricas no Brasil - Itapira (SP), Ribeirópolis (SE) e Três Pontas (MG) - e uma no Paraguai (inaugurada em 2017). Atualmente somente 15% dos brinquedos da empresa são importados da China, onde são produzidos em companhias terceirizadas. Desde a primeira boneca, a ESTRELA já produziu mais de 25 mil brinquedos diferentes, em um total de 1.6 bilhões de unidades vendidas em todo o país. 

Você sabia? 
Um dos sucessos mais clássicos da empresa foram as FOFOLETES (lançadas na década de 1970 pela falida TROL). Eram pequenas bonecas que vinham dentro de uma caixinha, semelhante às de fósforos. 
Apesar de no ano dia 5 de novembro de 1924 o presidente Arthur Bernardes ter assinando o projeto de lei que estabelecia o dia 12 de outubro como data comemorativa da “Festa da Criança”, a comemoração não obteve repercussão e nem apelo comercial. Foi somente em 1955 que a ESTRELA começou a ajudar à fixar o dia 12 de outubro no calendário brasileiro como sendo o “Dia das Crianças”. Isto porque a empresa lançou a “Semana do Bebê Robusto”, uma campanha em homenagem ao Dia das Crianças e cujo objetivo era aumentar as vendas de seus famosos bebezinhos rechonchudos de plástico. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Isto é Dinheiro, Época Negócios, Exame e Veja), jornais (Valor Econômico, Meio Mensagem, Estadão e Folha), sites especializados em Marketing e Branding (Mundo do Marketing), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers). 

Última atualização em 15/5/2020

13 comentários:

Unknown disse...

estou vendo que a estrela e grande e tanbem tem muito dinhneiro...faço parte de um grupo de dança e de teatro chamado paraunarte.E queria saber se voces poderiam nos ajudar com patrocinio em dinheiro.Obrigado!!!!!

Anônimo disse...

Olá pessoal da Estrela, gostaria de saber como conseguir a correinha e o copinho da boneca Bolinha de sabão, e tambem a mamadeira da Buchechinha.
Adoro voces, sou vidrada nas suas bonecas,Beijos

Anônimo disse...

tenho uma filha e gostaria de fazer uma boneca dela ... pois ela tem 4 meses se chama sarah .cabelos bem pretos no ombro e lisos parece ate a cinderela rsrssr
;; me imforme atraves do meu emil.; vanideusefiel@yahoo.com.br

Anônimo disse...

Ola! Meu nome eh Fernanda e fui uma monitora da Casa dos Sonhos da Estrela! Infelizmente participei do fechamento da casa...embalei o museu e vi o autorama ser desmontado! Amo a Estrela e sei que ela vai conseguir abrir uma outra Casa dos sonhos! Assim espero...

Anônimo disse...

Fiquei muito triste com o fechamento da Casa dos Sonhos, as crianças iriam adorar se ela voltasse a funcionar! Era uma ótima opção de passeio, minha filha adorava!

Nádia disse...

Gostaria de saber como faço para obter um boneco que foi criado pela estrela em mais ou menos 1963. Eu era apaixonada por esse boneco, e queria muito ter um outro igual. esse boneco tinha mais ou menos 40cm, de borracha e seus cabelos eram desenhado e seus olhos azuis(não eram pintados.Se vcs sabem de que boneco estou falando por favor entrem em contato comigo. Meu e-mail é: nadiaboal@gmail.com, e ficarei eternamente grata.

Unknown disse...

Olá!! Sou fã dos brinquedos da estrela. Possuo O dragão da estrela, porém não me lembro o ano de seu lançamento.

Alguém ai possui a informação e ou algum artigo sobre isso??

Muito obrigado...

Yano disse...

O carro de controle remoto Maximus vai ter novamente um relançamento?

ju disse...

Oi tudo bem quando criança queria muito uma boneca da estrela a bate Palminha que cantava parabéns, infelismente minha mãe não tinha dinheiro para comprar pois ela nos criava sozinha eu e meu irmão, pois meu pai nos abandonou eu ficava admirada olhando aquela linda boneca minhas amigas podiam ter mas eu só podia ficar olhando mesmo hoje eu ainda gostaria de ter essa boneca para admirá la seria um sonho de criança realizado mas ela não existe mais que pena.

Unknown disse...

Olá! Boa noite!
Gostaria de saber se a Estrela fabrica bonecas pequenas, tipo 10 a 12 cm.
Muito obrigada, aguardo resposta.
Maria Cleonice Leite
clleo33@gmail.com

Anônimo disse...

Gostosa

Unknown disse...

Relancem o falcon

Unknown disse...

Gostaria de comprar as bonequinhas fofolete.