22.6.10

HTC


Se você nunca ouviu falar da marca HTC, então saiba que ela já foi considerada uma das mais inovadoras do planeta. Telefones móveis inteligentes e eficientes que ampliam continuamente os limites da inovação para oferecer mobilidade e total liberdade para qualquer usuário é o princípio básico no sucesso da HTC, que já foi apontada por analistas como a única que talvez tivesse capacidade para incomodar, nem que seja um pouco, a soberania da Apple nesse segmento. Hoje, apesar de ajudar a construir a indústria dos smartphones, a HTC perdeu força e luta para sobreviver no mercado. 

A história 
Tudo começou no final dos anos de 1990 quando Cher Mi Wang, filha de um dos homens mais ricos e poderosos de Taiwan, resolveu que ao invés de levar uma vida luxuosa e acomodada, utilizaria o dinheiro da família para criar um negócio que rendesse ainda mais dividendos. Juntamente com Peter Chou, ela fundou no dia 15 de maio de 1997 a empresa HIGH TECH COMPUTER CORPORATION, na época nada mais que um pequeno escritório sem janelas, para fabricar inicialmente laptops. O primeiro produto foi o Kangaroo, um dos poucos assistentes pessoais digitais sem fio da época, que estreou o Windows CE, uma versão compacta do sistema da Microsoft. Poucos depois, a fundadora da empresa precisou fazer uma escolha difícil: concentrar as atividades em laptops ou transferir o foco aos aparelhos eletrônicos de mão, um segmento de mercado que começava a parecer extremamente promissor. Foi então que Wang defendeu a ideia de que a empresa priorizasse a produção de celulares inteligentes, tendo como objetivo trazer o poder da computação para a palma da mão. Foi uma escolha pra lá de inteligente. A empresa imaginou um mundo onde não era preciso mais ficar na dependência do computador. Antes mesmo da palavra “smartphone” existir, a HTC já desenvolvia alguns dos primeiros aparelhos wireless handheld, os precursores dos atuais smarthphones. A HTC passou um bom tempo trabalhando através do esquema ODM (Original Design Manufacturer), onde desenvolvia e fabricava os seus produtos, mas os vendia sob as marcas de outras empresas, entre elas, Dell, HP e Sharp.


Ao longo dos anos, a empresa também fechou parcerias com grandes operadores de telecomunicações americanas, europeias e asiáticas, fabricando linhas de produtos que ficaram populares nos países em que eram comercializados, como por exemplo, o Orange SPV e o T-Mobile MDA. Também passou a comercializar produtos através de sua subsidiária Qtek. A HTC também foi pioneira neste segmento, com o desenvolvimento da tecnologia touch screen (tela sensível ao toque) que culminou com o lançamento de um dos primeiros modelos de smarthphone que utilizava esse recurso. Além disso, a marca foi responsável pela criação do primeiro telefone celular inteligente com tela sensível ao toque colorida, em 1999. Talvez tenha sido isso que fez com que a HTC fosse escolhida pela Microsoft para ser a primeira fabricante de hardware para sua plataforma para dispositivos móveis Windows Mobile (baseado no Windows CE). O primeiro aparelho que utilizava o sistema operacional da Microsoft foi introduzido no mercado em 2000. Pouco depois, em 2004, foi lançado o HTC Blue Angel, primeiro celular da marca com teclado físico deslizável. A partir deste momento, o crescimento da HTC foi simplesmente espantoso. Somente em 2005, a empresa alcançou faturamento superior a US$ 2.2 bilhões.


E as novidades não pararam por aí: ainda em 2005 introduziu no mercado o primeiro celular a utilizar a plataforma Microsoft Windows Mobile 5.0, sendo o primeiro com um sistema da Microsoft a contar com conexão 3G. A consequência deste enorme sucesso não poderia ter sido outra: a partir de junho de 2006, ano em que adicionou a tecnologia GPS aos celulares, o nome HTC (uma abreviatura do nome original da empresa) passou a ser utilizado como marca e conhecido entre os usuários de dispositivos móveis, tendo inclusive excelente aprovação entre os mais exigentes consumidores. A marca passou a ser sinônimo de qualidade para smartphones e certamente contribuiu para popularizar o Windows Mobile. Um dos primeiros produtos que carregaram a marca era o HTC ADVANTAGE, um potente telefone celular inteligente equipado com uma tela de cinco polegadas e teclado Qwerty destacável. Este lançamento foi seguido pela introdução do HTC SHIFT, equipado com Windows Vista, tela sensível ao toque de 7 polegadas e disco rígido de 40 Gb.


No fim de 2007 a HTC desembarcou oficialmente no Brasil (mercado do qual saiu em 2012), com nada menos que 9 opções de modelos de celulares inteligentes para os usuários. Dentre eles estava o HTC TOUCH, que se converteu em um sucesso de vendas. Lançado na mesma época que o iPhone, esse modelo pequeno e leve, adicionou, pela primeira vez, uma interface sobre o Windows Mobile que permitia operar o aparelho usando os dedos e gestos. O inovador modelo estava equipado com a tecnologia TouchFLO™, que permitia ao usuário uma navegação mais intuitiva. Essa tecnologia se mostrou tão popular que a HTC lançou outros modelos com os mesmos recursos nos anos seguintes.


Reconhecida pelo design inovador de seus aparelhos, a HTC foi uma das primeiras a adotar o sistema operacional Android do Google. Isto aconteceu no dia 22 de outubro de 2008 com o início das vendas do T-Mobile G1 (concebido originalmente como HTC DREAM). Em 2009 a empresa revelou ao mundo o HTC SENSE, com uma interface gráfica considerada uma das melhores para os sistemas operacionais Android e Windows Mobile, proporcionando ao usuário a experiência de estar no centro de tudo. A partir de 2010 a HTC iniciou uma trajetória de crescimento impressionante, principalmente após anunciar a entrada no mercado chinês com aparelhos que iriam carregar sua própria marca. E a busca por alta tecnologia e inovação não parou mais: em junho de 2010 lançou seu primeiro smartphone 4G e, em 2011, seu primeiro tablet (batizado de HTC FLYER, possuía design moderno e todo em alumínio, além de introduzir novos serviços desenvolvidos pela empresa e suas parceiras, entre os quais o HTC Scribe Technology, tecnologia que prometia revolucionar a escrita no tablet, o HTC Watch, um serviço de download de vídeos, e o Onlive, um serviço que proporcionaria ao usuário uma nova experiência em games online). O resultado de tanta inovação e crescimento pode ser comprovado em 2011, quando a HTC ultrapassou a então decadente Nokia e se tornou a terceira maior fabricante de smartphone do mundo. Porém, foi neste momento que começaram os problemas, principalmente devido à forte concorrência no setor. Ainda este ano a marca apresentou seus primeiros aparelhos fabricados em parceria com a Beats, que apresentavam customizações no áudio para uma experiência de imersão sem precedentes.


As grandes apostas da empresa nos anos seguintes para reverter à queda em suas venda foram a linha HTC ONE, que incluía os modelos ONE S (extremamente fino, atraente por fora e por dentro, que utiliza tecnologia de ponta), ONE V (apresentava um design curvo exclusivo que o torna mais fácil de segurar) e ONE X (o mais avançado smartphone da marca). O ONE X era justamente a “vedete” da marca, apresentado com enorme pompa em 2012, durante a realização da mais importante feira de telecomunicações do planeta. O poderoso aparelho possuía tela de 4.7 polegadas, visor com resolução HD e tecnologia Super-LCD, câmera de 8 megapixels com flash LED de 5 níveis de brilho e filmagem em Full HD, 1 GB de memória RAM, 32 GB de armazenamento interno e utilizava o sistema Android 4.0. O resultado de tanta tecnologia confinada em um pequeno espaço era uma navegação extremamente rápida, qualidade de imagem inquestionável e jogos com gráficos fantásticos graças ao poderoso processador de núcleo quádruplo. Já em 2013, foi apresentado o HTC One M7, primeiro com corpo metálico e que ganhou vários prêmios de melhor smartphone do ano. Ainda neste ano, a marca investiu pesado em publicidade e lançou uma campanha com Robert Downey Jr.


Apesar do enorme crescimento, a HTC enfrentou nos últimos anos uma crise nos Estados Unidos, justamente seu maior mercado, sofrendo uma queda de 30% em suas vendas de smartphones. Vale à pena ressaltar que um dos motivos que desencadearam essa crise na empresa, foi justamente suas derrotas para a Apple nos tribunais, resultantes de disputas de patentes. Além disso, a HTC perdeu muito mercado, algo causado principalmente pelo advento de gigantes asiáticas como Samsung, Huawei, LG, Lenovo (com a marca Motorola) e Xiaomi. Apesar disso, a empresa continuou lançando diversos dispositivos extremamente bem vistos pela crítica, como o One M8 e o Desire Eye, ambos com diferenciais bem interessantes. Em 2016, para enfrentar a enorme queda de faturamento devido a forte concorrência no setor, a HTC lançou o VIVE, óculos de realidade virtual fabricado em parceria com a Valve, produtora de jogos como “Half-Life” e “Left 4 Dead”. Ele é o mais caro entre os dispositivos desse setor, mas é considerado também o mais completo e poderoso, com sensores precisos e um ótimo controle. Apesar do preço os óculos de realidade virtual venderam 140 mil unidades em apenas seis meses.


Apesar da enorme crise por qual passa, a HTC está constantemente ampliando sua linha de produtos, introduzindo celulares inteligentes capazes de suportarem aplicações específicas, que respondam às diferentes exigências do mercado e das empresas com quem colabora. Como por exemplo, os modelos U11 e U11 Ultra (lançados em 2017), que se destacam pela tecnologia edge sense, em que você “espreme” as laterais do celular para ativar certos comandos. A câmera também continua como um dos destaques. E essa crise pode ter chegado ao fim em setembro de 2017, quando a Alphabet Inc. (dona do Google) anunciou a aquisição de parte da equipe de desenvolvimento de celulares e do licenciamento de propriedade intelectual da HTC por US$ 1.1 bilhões (a empresa taiwanesa é responsável por fabricar o Pixel, smartphone do Google). Vale ressaltar que o Google e taiwanesa HTC já trabalharam juntos no desenvolvido do tablet Nexus 9, lançado em 2014. Para a HTC, o acordo vai permitir que a empresa foque em uma área bastante promissora: realidade virtual.


Campanhas que fizeram histórias 
No final de 2009 a HTC lançou sua primeira campanha de marketing global. A milionária campanha, batizada de YOU, abordava o setor de mobilidade com inovação, representando a concentração e o foco da HTC em cada cliente. Ou seja, era totalmente voltada para o relacionamento com os clientes a partir do conceito de diversidade e respeito pelas pessoas. A campanha da marca, que foi lançada em mais de 20 países ao redor do mundo, tinha como lema: “You don’t need to get a phone. You need a phone that gets you” (em tradução livre, “Você não precisa ter um telefone, precisa que o telefone tenha você”), que representava o compromisso da HTC de se concentrar nas pessoas, nas suas necessidades e na forma como trabalham e vivem, para garantir que seus aparelhos se adaptem a elas e suas realidades.


Além disso, a marca divulgou também seu novo slogan, “Quietly Brilliant”, inspirado na cultura da HTC em colocar os clientes sempre em primeiro lugar, derivada de uma longa tradição no desenvolvimento de produtos equipados com tecnologia de ponta e na constante inovação.


A evolução visual 
Apesar de jovem, a HTC já realizou três grandes reformulações visuais em sua marca. A primeira aconteceu em 2006 e foi radical, como mostra a imagem abaixo. Já a última delas, ocorrida no ano de 2009, juntamente com o novo posicionamento da global marca, apresentou um logotipo com a palavra HTC escrita em verde-claro.


Os slogans 
Quietly Brilliant. (2009) 
Smart Mobility. (2006)


Dados corporativos 
● Origem: Taiwan 
● Fundação: 15 de maio de 1997 
● Fundador: Cher Mi Wang e Peter Chou 
● Sede mundial: Xindian District, New Taipei City, Taiwan 
● Proprietário da marca: HTC Corporation 
● Capital aberto: Sim 
● Chairman & CEO: Cher Wang 
● Faturamento: US$ 2.68 bilhões (2016) 
● Lucro: - US$ 500 milhões (2016) 
● Valor de mercado: US$ 1.75 bilhões (março/2018) 
● Presença global: 80 países 
● Presença no Brasil: Não 
● Funcionários: 10.652 
● Segmento: Eletrônicos e tecnologia 
● Principais produtos: Smartphones, tablets e aparelhos de realidade virtual 
● Concorrentes diretos: Apple, Samsung, LG, Sony, Huawei, Asus, Blackberry, Xiaomi, Oppo e Motorola 
● Slogan: Quietly Brilliant. 
● Website: www.htc.com 

A marca no mundo 
Hoje em dia a HTC, que já foi uma das maiores fabricantes de smartphones do mundo, comercializa sua vasta linha de produtos em mais de 80 países. Atualmente a HTC oferece aproximadamente 50 modelos de smathphones, além de tablets e óculos de realidade virtual. Em 2016 a HTC vendeu mais de 28 milhões de aparelhos no mundo inteiro, alcançando faturamento de US$ 2.68 bilhões. 

Você sabia? 
A fundadora da empresa é uma das mais poderosas mulheres do mundo da tecnologia, mesmo que pouca gente tenha ouvido falar dela. 
A HTC é umas das fundadoras da aliança Open Handset Alliance, que visa criar padrões abertos para telefonia móvel. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, BusinessWeek, Isto é Dinheiro e Exame), jornais (Valor Econômico, Folha e Estadão), blogs (Tec Mundo), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers). 

Última atualização em 20/3/2018

6 comentários:

Daniel Ramos disse...

Sem dúvida uma empresa inovadora e que tem o cliente como foco.
Tem tudo para ser a melhor fabricante de celulares inteligentes do mundo.

Anônimo disse...

Sou fa de novas tecnologia, adorei o blog e pricipalmente o tema pois acabei de trocar o iphone pelo htc desire s e fiquei muito satifeito. vces estao de parabens. comentou: Helder de Jesus Joao «Machangot»

Anônimo disse...

sou fan da Htc uso aparelhos htc ja a 4 anos.. nem penso em iphone htc é o melhor.. outra parte da comunicaçao dela é a equipe de ciclismo de estrada Htc

Anônimo disse...

Particularmente considero a HTC o melhor fabricante de celulares que existe Iphone é um aparelho para deslumbrados ... quem da valor ao seu numerário e não faz questão de modismos sociais usa um HTC isso é fato!São duráveis inteligentes e super avançados e ver para crer!Saudações.

allyson sampaio disse...

Sem dúvidas tenho htc one mini qualidade de som excepcional sem comparação com outros camera a noite muito boa um celular que não trava particularmente abandonei a Samsung apesar de que no Brasil não e muito popular sempre trago da suíça lá e bem conceituada a marca experiência nada a reclamar

Jaime Oliveira disse...

Também gostei e hoje em dia, ainda tenho o HTC desire Eye, melhor que
muitos Samsung e etc. Obrigado