16.7.08

MISS SIXTY


Suas calças jeans de corte primoroso que valorizam as formas do corpo feminino, com lavagens especiais e aplicação de tecidos, brilhos e outros detalhes, são disputadas por um público descolado no mundo inteiro. Suas camisetas estampadas, coloridas, alegres, ousadas e com visual psicodélico são vistas nas cidades mais modernas do planeta. A italiana MISS SIXTY se tornou uma das grifes mais badaladas do mundo, caindo no gosto de celebridades jovens e modernas, como Christina Aguilera, Demi Moore e Jeniffer Lopes. Apreciada em primeiro lugar pela variedade extremamente rica de jeans e pela originalidade das propostas, hoje a marca italiana é cada vez mais feminina, sexy, chique, sem nunca perder o toque de ironia que a evidencia.

A história
Tudo começou no final dos anos 80 quando os modernos cortes das calças jeans feitas exclusivamente para homens, vendidas na loja da Energie (fundada em 1984 e originalmente uma marca de roupas experimental e inovadora, ligada ao mundo cultural e artístico do início dos anos 80), em Roma na Itália, conquistaram a preferência de mulheres descoladas. A atitude intrigou os empresários Wichy Hassan (nascido na Líbia) e Renato Rossi, que viram aí a oportunidade de expandir os negócios. A marca feminina MISS SIXTY, lançada em 1991, alcançou sucesso rápido e garantiu novo status aos jeans, criados especialmente para o corpo feminino e direcionados a um público exigente que buscava inovação, originalidade e variedade constante, e que gostava de brincar com as roupas para definição de um estilo próprio.


Reza a lenda que os empresários, fascinados pela estética da década de 70, tentaram utilizar os nomes “Seventy” e “Miss Seventy”, mas estes já haviam sido registrados por outra empresa. Assim, surgiu a MISS SIXTY, com uma década de diferença no nome (“sixty”, em inglês, significa “sessenta”). O visual psicodélico, as cores, o glamour e a originalidade dos anos 70, no entanto, sempre foram predominantes nas coleções da marca. Outra característica que a marca herdou da Energie foi a aplicação de adereços e tecidos peruanos nos jeans, além de camisetas com estampas originais. Já em 1992 a marca estava presente no mercado americano, onde era comercializada nas mais sofisticadas lojas de departamento. A primeira loja exclusiva da marca foi inaugurada na cidade de Londres no ano de 1999.


A marca desembarcou no Brasil em 2002, quando inaugurou sua primeira loja no país, localizada na disputada Rua Oscar Freire, no bairro nobre dos Jardins, em São Paulo. Anos depois, o Rio de Janeiro também ganhou sua loja, localizada no Barra Shopping. Além das lojas exclusivas, a marca também possui uma fábrica brasileira, responsável por 60% dos produtos que abastecem todas as lojas da América Latina, que recebe os tecidos e modelagens da matriz italiana e “monta” as peças localmente.


As grandes novidades da MISS SIXTY em 2005 foram os lançamentos do primeiro perfume da marca e de uma coleção de roupas e calçados para crianças e adolescentes, de 4 a 14 anos. O perfume nasceu da parceria da marca italiana com a Coty, uma das maiores indústrias de cosméticos do mundo. Um departamento de moda infantil foi criado exclusivamente para a criação dessas coleções. Com aproximadamente 130 itens, a coleção MISS SIXTY JUNIOR foi lançada, inicialmente, apenas em algumas lojas na Europa. Além disso, outras parcerias foram fechadas neste ano: primeiro com a Morelatto, para o desenvolvimento de uma coleção de joias; e a segunda com a Coccinelle, para o lançamento de uma nova linha de bolsas e acessórios de couro. No final de 2011 a marca italiana sofreu seu mais duro golpe com a morte de seu fundador e diretor criativo, Wicky Hassan, vitimado aos 56 anos por tumor, contra o qual travava uma batalha há anos. Atualmente a MISS SIXTY evoluiu para o conceito “lifestyle”, oferecendo além de roupas, coleções de calçados, malas, óculos, joias, relógios, perfumes e artigos de cama, mesa e banho.


A linha do tempo
2000
Lançamento da primeira linha de calçados da marca.
2001
Lançamento, em parceria com a Marcolin, da linha de armações de receituário e óculos de sol da grife italiana. Hoje em dia as coleções primam pela irreverência, feminilidade, originalidade e, volta e meia, aplicam o que a marca tem de melhor – o jeans – em detalhes nas armações e nos estojos.
2004
Lançamento de uma linha de jeans anticelulite, composta por calças, shorts e saias confeccionadas com um tipo de jeans que contém Skintex, substância composta por retinol e quitosana, que impede a absorção de gordura no estômago. No atrito do tecido com a pele, 40% dessas substâncias são absorvidas pelo corpo em 48 horas.
2005
Lançamento da primeira fragrância da marca.
Lançamento da linha de joias e acessórios de couro.
Lançamento da MISS SIXTY KIDS, coleção de roupas e calçados para crianças e adolescentes.
2006
Lançamento da coleção de roupas íntimas e moda praia.
Lançamento do perfume Elixir.
2007
Lançamento da nova coleção de relógios MISS SIXTY TIME.
Lançamento da nova fragrância MISS SIXTY ROCK MOUSE.
2009
Lançamento do MISS SIXTY MOBILE, primeiro celular da grife italiana desenvolvido em parceria com a empresa Alcatel. O aparelho foi desenvolvido com um novo conceito, interpretando a essência feminina e absolutamente original da marca: jovem, sensual e irônica ao mesmo tempo.
2010
Lançamento de uma coleção homewear, composta por roupas de cama (lençóis, cobertores, colchas e capas de edredons) e banho (toalhas e roupões) que interpretam de forma colorida e sofisticada a essência sensual e irônica da marca.


As lojas
A MISS SIXTY sempre deu muita importância ao visual de suas lojas, planejadas para serem imediatamente reconhecidas. O design e o planejamento dos espaços são feitos por uma talentosa equipe da divisão de criação da empresa, Sixty Retail, com o suporte arquitetônico externo do Studio 63. Com isso, os espaços e ambientes se tornam exclusivos, brincando com menções musicais, cinematográficas e artísticas dos anos 60 e 70. As formas, cores, luzes e pequenos detalhes proporcionam uma atmosfera aconchegante e sofisticada, que pode ser também estimulante, exibindo os produtos pelo que melhor oferecem. Cada loja tem sua identidade e está integrada ao contexto local, sempre com um toque, aspecto e estilo que é imediatamente reconhecido.


O hotel
“Mais do que uma simples hospedagem, uma experiência de arte e design”. Esse é o lema do MISS SIXTY HOTEL RICCIONE, pertencente à emergente e descolada marca italiana de roupas jovens. Não é papo de marqueteiro. O hotel é realmente uma experiência, a começar pela fachada, que muda de cor diariamente graças à projeção contínua de imagens. Excentricidade à altura dos 30 artistas plásticos convidados para decorar as quarenta suítes. Não faltam grafites, frases pintadas nas paredes, desenhos modernos e outros em estilo retrô. Mas antes que alguém pense tratar-se da versão hoteleira de uma república estudantil, é bom dizer que sobram conforto, bons serviços e requinte contemporâneo. É possível visualizar computadores espalhados por todo canto, rede sem fio para conexão com a Internet e até mesmo videogames e webcams nos quartos. O restaurante é um capítulo à parte: com design que mistura os estilos moderno e clássico. E não poderia faltar uma loja da MISS SIXTY, com lançamentos que ali chegam antes de ir para as revendas no mundo todo. A localização é outro trunfo: o hotel está no ponto mais agitado da vilazinha costeira de Riccione no Mar Adriático, onde pessoas elegantes desfilando para lá e para cá - fazem todo sentido nesse contexto. Há planos de construir filiais em Nice, na França, e até em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.


A comunicação
As campanhas publicitárias da MISS SIXTY são sempre um festival de cores, alto astral e sensualidade - uma perfeita reprodução visual do estilo da grife. Um exemplo disso foi uma campanha realizada há alguns anos e fotografada pelo descolado francês Jean Baptiste Mondino, quando a marca escalou a atriz italiana Asia Argento, que assinou um contrato para ser o rosto das campanhas nos próximos dois anos. A atual garota-propaganda da marca é a bela argentina Belen Rodriguez.


Dados corporativos
● Origem: Itália
● Fundação: 1991
● Fundador: Wichy Hassan e Renato Rossi
● Sede mundial: Chieti, Itália
● Proprietário da marca: Sixty S.p.A
● Capital aberto: Não
● Presidente & CEO: Piero Bongiovanni
● Faturamento: Não divulgado
● Lucro: Não divulgado
● Lojas: 315
● Presença global: 90 países
● Presença no Brasil: Sim
● Maiores mercados: Itália e Europa
● Segmento: Moda
● Principais produtos: Roupas, acessórios, perfumes e calças jeans
● Concorrentes diretos: Diesel, Replay e Seven
● Ícones: As disputadas calças jeans
● Website: www.misssixty.com

A marca no mundo
Hoje a MISS SIXTY, uma das 5 marcas administradas pelo grupo Sixty, ao lado de outras como Energie e Killah, está presente em aproximadamente 90 países ao redor do mundo, com mais de 315 lojas próprias e cerca de sete mil pontos de venda (lojas multimarcas e lojas de departamento), garantindo seu lugar no topo da lista das marcas mais consumidas em cidades como Nova Iorque, Milão, Paris, Londres e Tóquio.

Você sabia?
Recentemente a revista inglesa Drapers, especializada no segmento de moda, listou a MISS SIXTY como a primeira do ranking de jeans femininos mais vendidos do mundo, seguida diretamente por Diesel e Replay, também italianas.


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Time), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).

Última atualização em 7/8/2012

15.7.08

SEPHORA


Suas lojas são uma verdadeira perdição para qualquer mulher, uma parada obrigatória para quem procura por cosméticos e maquiagens de luxo e também produtos de alta qualidade a preços inacreditáveis. Nas modernas prateleiras, perfumes de todas as renomadas marcas. No centro, maquiagens que podem ser experimentadas à vontade. Ao fundo, cremes e mais cremes. Isso sem contar a sessão de acessórios com tudo o que uma mulher possa sonhar. A SEPHORA é um fenômeno global e se tornou uma autoridade quando o assunto é beleza.

A história
A história da marca começou em 1969 na França quando o empresário Dominique Mandonnaud e sua mulher, Isabelle, abriram uma pequena loja para venda de perfumes em Limoges, pequena cidade na região de Haute-Vienne. A ideia do novo negócio surgiu com a insatisfação no modelo de vendas de perfumes realizado, na época, por grandes lojas de departamento, onde o atendimento não era especializado e as vendedoras eram comissionadas, empurrando perfumes para as consumidoras a qualquer custo. Uma década depois, em 1979, o empresário revolucionou o mercado com o formato “Sirva-se você mesmo” (self-service) ao inaugurar a loja SHOP 8, onde uma extensa variedade de perfumes e cosméticos eram dispostos lado a lado nas prateleiras, separados por marcas e tipos, e as consumidoras podiam experimentá-los sem nenhum compromisso. A ideia, considerada na época inovadora, de permitir às pessoas de circular pela perfumaria como em um supermercado, testando diferentes produtos, acabou sendo adotada depois pelos concorrentes do setor.


O sucesso da nova loja levou o empresário a inaugurar outras unidades pela França. Em 1988 a empresa comprou uma pequena rede de oito lojas de perfumaria na capital francesa e transformou-as no mesmo formato da SHOP 8. O maior passo para empresa se transformar numa gigante dos cosméticos aconteceu em 1993, quando foram adquiridas as 38 lojas, em sua grande maioria localizada em Paris e arredores, da SEPHORA, uma rede especializada em perfumes criada em 1970 pelo grupo britânico Boots, cuja primeira unidade foi inaugurada na Rue de Passy, próxima ao Jardim do Trocadéro. A aquisição não somente elevou o número de lojas para quase 50, muitas delas localizadas em pontos estratégicos da capital francesa, como a empresa decidiu transformá-las para o formato de auto-serviço, mudando o nome de todas as unidades para SEPHORA.


Até 1997 quando a rede foi adquirida pelo poderoso grupo LVMH, gigante do luxo que controla marcas como Louis Vuitton, Dior e Moët Chandon, em um negócio estimado em €244 milhões, a SEPHORA tinha apenas 54 lojas e controlava 8% do mercado de varejo de perfumes e cosméticos na França. Na época, a recém-inaugurada loja âncora da rede localizada na sofisticada Avenida Champs-Elysées serviu de modelo para a atual concepção da SEPHORA. No ano seguinte a rede inaugurou sua primeira loja nos Estados Unidos, em plena Nova York, iniciando um período de forte expansão internacional, onde cada unidade aberta arrasta centenas e centenas de ávidas consumidoras, formando filas enormes e, em alguns casos, criando um gigantesco tumulto.


Apesar da expansão, até 2002 a rede só causou prejuízos para o grupo LVMH. Bernard Arnault, presidente do conglomerado de luxo, chegou a se arrepender do negócio. A virada aconteceu depois que a empresa decidiu investir em duas acertadas estratégias. A primeira foi ter tornado acessíveis, ao grande público, produtos que uma pequena parcela das mulheres está acostumada a encomendar, por orientação de suas dermatologistas, à farmácias de manipulação: cremes e elixires que combinam fórmulas poderosas com embalagens despretensiosas e preços bem mais em conta que os das grandes marcas mundiais. No caso da SEPHORA, o que a loja fez foi encher suas prateleiras de produtos encomendados à laboratórios de ponta, localizados principalmente nos Estados Unidos e na Inglaterra. Alguns deles, como o Lip Injection, por exemplo, tornaram-se sucessos retumbantes. Com textura de gloss, ele aumenta a circulação sanguínea nos lábios, prometendo deixá-los mais carnudos e avermelhados por quatro horas. Há ainda a linha dos cosméticos “orais”: comprimidos para acabar com a celulite, bronzear a pele e dar brilho aos cabelos. Tratados como “complemento alimentar”, os produtos têm em suas fórmulas extratos de ervas e frutas. O elixir desintoxicante Detox, por exemplo, é feito à base de suco de uva e raiz de bardana – uma espécie de versão comercial daquelas receitas de avó.


O segundo grande acerto foi apostar numa estratégia de marketing para lá de agressiva. A ordem era não permitir que nenhuma cliente deixasse a loja sem comprar ao menos um pequeno batom. Para isso, células fotoelétricas contam quantas pessoas atravessam suas portas a cada hora. Esse número é comparado à quantidade de consumidores que passam pelos caixas. Se a proporção é insatisfatória, as vendedoras têm ordem para literalmente “atacar” a clientela. Não é preciso muito esforço. Diante de tantas promessas de beleza e juventude, quem consegue sair de cestinha vazia? O reposicionamento da marca também passou pela criação de espaços mais acolhedores e modernos, com serviços inovadores, como o “beauty bar”, onde é possível, sem hora marcada, fazer uma maquiagem, ou ainda o “beauty sourcils”, para realizar uma depilação rápida das sobrancelhas, no meio da loja.


Além disso, a SEPHORA acabou com a imagem de butiques “frias”, onde as vendedoras usavam luvas negras, como sinônimo de refinamento, para manipular os artigos. Outro objetivo alcançado nesta nova fase foi se diferenciar da concorrência com produtos exclusivos. A SEPHORA apostou, a partir de 2004, em marcas totalmente desconhecidas, como o antirrugas e antiestrias americano StriVectin, que vendeu mais de 500 mil unidades na França em menos de dois anos. Um dos grandes sucessos da marca atende pelo nome de Makeup Studio Blockbuster, um super kit de maquiagem com 193 produtos, que deixa a consumidora preparada para todas as tendências e ocasiões. São 96 tons de sombras, 84 batons brilhantes, 6 delineadores, 2 lápis delineadores, 3 blushes, 1 pó-bronze, 1 máscara e 4 aplicadores. Acondicionado em uma moderna caixa (case), esse kit tem espelho, gavetas e pernas para que a consumidora possa deixá-lo como uma verdadeira penteadeira.


Atualmente a SEPHORA está em franca expansão nos países emergentes. Em 2005, a empresa abriu cinco lojas na China e, no ano seguinte, novas lojas foram inauguradas no Oriente Médio e nos Emirados Árabes. Os fortes rumores de seu desembarque no Brasil aumentaram quando o grupo LVHM comprou 70% da Sack’s, site brasileiro de cosméticos, com a intenção de migrar, embora que lentamente, o nome da Sack’s para SEPHORA e aumentar portfólio de produtos do grupo. Em 2011, teve início de apresentação da marca SEPHORA no Brasil através da Sack’s, com a venda da SEPHORA COLLECTION, que oferece uma variedade ilimitada de maquiagem, cuidados com a pele e artigos de beleza, como pincéis, esponjas e cases. Finalmente no mês de julho de 2012 os rumores se confirmaram: a SEPHORA abriu as portas de sua primeira loja no país, em um dos principais shoppings de luxo da cidade de São Paulo: o JK Iguatemi. A inauguração foi como de costume: tumulto, filas e mulheres desesperadas atrás de maquiagens e cosméticos. Na loja, considerada até pequena para os padrões da rede (350 m²), é possível encontrar a área de Nail Studio, irresistível para as fãs de esmaltes, que oferece mais de 100 cores, além de uma linha completa de tratamento para unhas; ou a Eye Liner, que destaca os 20 produtos para olhos favoritos do momento. A loja também traz às brasileiras marcas inéditas até então no país, entre as quais Nars, Make Up For Ever, Bare Minerals, Fresh, Stila e Benefit Cosmetics, as queridinhas das amantes de maquiagens, além das especializadas em cabelo como Bumble & Bumble e Oscar Balndi, e os dermocosméticos de Peter Thomas Roth. Os planos são de que mais 16 lojas sejam inauguradas no eixo Rio-São Paulo nos próximos dois anos.


Devido a todo esse sucesso, não é nenhum exagero afirmar que a rede é perita em garimpar marcas criativas, interpretar tendências, construir códigos estéticos e dar os melhores conselhos. Isso tudo para criar uma experiência única de compra. Oferece uma total liberdade para entrar, sentir, sonhar, brincar e experimentar. Provoca emoções: misturando o prazer da aprendizagem e a descoberta do ambiente com um atendimento personalizado. Graças a produtos originais, serviços de vanguarda e a uma comunicação inovadora, a SEPHORA representa a audácia e é a porta-voz das mulheres modernas.


A linha do tempo
1995
Criação da marca própria SEPHORA, baseada no prisma de cores e na sua emblemática linha do banho. Atualmente os produtos de marca própria, que incluem desde maquiagens à cremes cosméticos, estão em primeiro lugar em faturamento e volume de vendas da empresa. Os produtos da marca SEPHORA possuem preços 20% mais baratos e são feitos principalmente na Europa (França, Itália, Grécia, entre outros países), Estados Unidos e na Ásia.
1996
Inauguração de sua loja âncora na cidade de Paris.
Inauguração de suas primeiras lojas em Mônaco e Luxemburgo.
1997
Lançamento na França do seu comércio on-line através de sua página na Internet. Dois anos depois, em outubro de 1999, o formato seria introduzido no mercado americano. Atualmente o comércio on-line está disponível em mais de 10 países, oferecendo mais de 13 mil produtos de 200 marcas diferentes.
1998
Inauguração de suas primeiras lojas na Itália, Portugal e Espanha (Madrid).
Abertura da loja SEPHORA em Barcelona com impressionantes 1.800 m², a maior do mundo.
1999
Inauguração de sua primeira loja na Polônia.
2000
Inauguração de sua primeira loja na Romênia e na Grécia.
2002
Inauguração de sua primeira loja na República Checa.
2003
Inauguração de sua primeira loja na Rússia.
2004
Inauguração de sua primeira loja no Canadá na cidade de Toronto.
Lançamento de seu próprio creme antirugas, que se tornou um dos produtos mais vendidos nas lojas da rede.
2005
Criação de novos serviços dentro de suas lojas, como por exemplo, fazer uma maquiagem com profissionais capacitados (Beauty Studio), fazer unhas ou depilar sobrancelhas.
2006
Inauguração, em outubro, de sua primeira unidade dentro da rede de lojas de departamento JC PENNEY. Essas lojas possuem 1/3 do tamanho das convencionais da SEPHORA, além de ter uma gama de produtos limitada em relação às lojas tradicionais. Hoje em dia a marca possui mais de 300 lojas nesse formato.
2007
Inauguração de suas primeiras lojas na Turquia, Sérvia, Croácia, Emirados Árabes (Dubai), Catar e Omã.
Inauguração da SEPHORA UNIVERSITY para treinamento de todos os seus funcionários nas mais variadas áreas de atuação da empresa. A rede conta também com o SCIENCE of SEPHORA, um programa de treinamento de suas vendedoras que as capacita a identificar o tipo de pele, recomendar produtos de uma forma mais profissional, técnicas de aplicação, alto conhecimento em maquiagens, e o mais importante de tudo, interagir com a diversidade de clientes que a rede possui.
Em um acordo com o canal de televisão The Home Shopping Network (HSN), cinco horas de programação mensal foi dedicado ao SEPHORA SHOW, programa onde especialistas da empresa apresentam as principais novidades e tendências do mercado de cosmética e perfumaria.
Lançamento do SEPHORA BEAUTY INSIDER, programa de fidelidade onde ao acumular pontos, cada US$ 1 gasto na loja = 1 ponto, as consumidoras recebem alguns produtos especiais, convites para eventos promovidos pelas lojas, brindes, informações exclusivas e descontos incríveis. Em 2009 foi introduzido o V.I.B. [Very Important Beauty Insider], um nível superior e premium de seu programa de fidelidade, que oferece ainda mais vantagens.
2009
De forma ousada e inovadora, a SEPHORA iniciou a instalação de máquinas automáticas de vendas nos Estados Unidos em lugares de grande circulação de pessoas, como por exemplo, estações de metro e aeroportos. Essas máquinas oferecem de forma prática os 50 produtos mais vendidos em suas lojas físicas.
2011
Inauguração da SEPHORA no bairro de Meatpacking District, em Nova York, Essa unidade é diferente das demais que a rede possui: oferece produtos exclusivos; é repleta de painéis de LED, computadores touch-screen, esculturas e móveis pretos brilhantes; além de ser a primeira loja do mundo a dispensar caixas – todos os pagamentos são feitos por celular diretamente com o atendente. Outra diferença é o Lash Bar, um mostruário gigante que exibe os mais variados tipos de cílios postiços.


O templo da beleza
Número 70 da badalada e chique Avenida Champs-Elysées em plena Paris. Na entrada, dois rapazes, vestidos de branco, dão as boas-vindas às clientes. Ao mesmo tempo eles oferecem um jato do novo e controverso hidratante facial russo Amatokin, o primeiro a utilizar a tecnologia das células-tronco contra os efeitos do envelhecimento. Três passos adiante, uma mulher, toda de preto, estende o braço para entregar uma fitinha perfumada com o último lançamento da Givenchy e de outras marcas renomadas. Uma borrifada daqui, uma esfregada com o último lançamento em creme dali: Bem-vinda a SEPHORA. No meio da loja é possível encontrar produtos de maquiagem dos mais variados tipos que podem ser experimentados ao gosto do cliente, sem interferência ou “cara feia” das vendedoras. Nas laterais, um show de perfumes de todas as marcas, para todos os gostos, com todos os cheiros. Caminhando mais um pouco dá para ver, ao fundo, milhares de potinhos de cremes e mulheres provando os últimos lançamentos.


Entre as marcas mais exclusivas à venda na rede, estão as americanas Dr. Brandt e a Dr. Perricone. Isso sem contar, a marca brasileira Amazon Secrets, que oferece cosméticos com ingredientes amazônicos e baseados nos princípios do desenvolvimento sustentável. Entre as marcas de grande distribuição estão Biotherm, Calvin Klein, Lancôme e Clinique, só para citar algumas. Os incríveis 1.500 m² da loja, que recebe mais de 6 milhões de visitantes por ano, ficam abertos diariamente das 10 da manhã até a meia-noite – e estão invariavelmente lotados. Afinal, tudo na SEPHORA é grandioso e luxuoso.


O nome
A palavra SEPHORA é a combinação das palavras “sephos”, que significa bonito em grego, e “Zipporah”, nome da mulher excepcionalmente bela de Moisés no livro Exodus.


Os slogans
The beauty authority. (2007)
Beauty is how you see it. (2002)
The most beauty online. (2000, e-commerce)


Dados corporativos
● Origem: França
● Fundação: 1969
● Fundador: Dominique Mandonnaud e Isabelle Masson-Mandonnaud
● Sede mundial: Paris, França
● Proprietário da marca: LVHM Group
● Capital aberto: Não (subsidiária)
● Chairman: Bernard Arnault
● CEO & Presidente: David Suliteanu
● Faturamento: €2.7 bilhões (estimado)
● Lucro: Não divulgado
● Lojas: + 1.500
● Presença global: 28 países
● Presença no Brasil: Sim
● Funcionários: 6.500
● Segmento: Varejo
● Principais produtos: Cosméticos, maquiagens e perfumes
● Concorrentes diretos: Bath & Body Works, The Body Shop e L’Occitane
● Slogan: The beauty authority.
● Website: www.sephora.com

A marca no mundo
A SEPHORA possui atualmente mais de 1.500 lojas espalhadas por 28 países, comercializando mais de 200 marcas populares e luxuosas de cosméticos que incluem maquiagens, produtos para o corpo, perfumes e acessórios para banho e banheiro, oferecendo aproximadamente 14.000 itens diferentes. Hoje em dia, sua marca própria, que inclui cremes e cosméticos, já representa 35% das vendas da empresa no mundo. Apenas na França suas lojas recebem anualmente mais de 60 milhões de ávidas consumidoras e outras milhões se aglomeram em suas mais de 280 lojas nos Estados Unidos, onde o site da marca é líder em vendas no mercado.

Você sabia?
A SEPHORA é hoje responsável por 25% das vendas de perfumes e cosméticos da França, onde possui aproximadamente 280 lojas.


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Time), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).

Última atualização em 16/7/2012

14.7.08

CACAU SHOW

A CACAU SHOW fabrica muito mais do que chocolates e deliciosas trufas. O que produz são pequenas demonstrações de carinho que fazem as pessoas se sentirem lembradas e amadas. A marca se esforça ao máximo para que o maior número de pessoas possa fazer um doce gesto capaz de provocar sorrisos, abraços e beijos.

A história
A empresa nasceu quando o fundador, Alexandre Tadeu da Costa, um rapaz de família humilde, filho de pai tecelão e mãe vendedora de produtos de beleza em domicílio, começou a revender chocolates de uma indústria. Na primeira Páscoa, em 1988, ele vendeu, além de outros produtos, dois mil ovos de 50g. Porém, quando chegou à fábrica, ele descobriu que cometera um enorme engano, por não conhecer o suficiente a linha de produtos da empresa que, na verdade, não fabricava ovos de 50g e não teria condições de fabricá-los antes do domingo de Páscoa para honrar as vendas efetuadas. Frente a isso, preocupado em honrar a encomenda e em não perder o pedido, o estudante, então com 17 anos, comprou a matéria prima necessária e procurou alguém que estivesse acostumado a fabricar chocolates em casa. Em uma loja especializada no ramo, conheceu uma senhora que fazia chocolates caseiros e que veio a ser a primeira funcionária da CACAU SHOW. Comprou formas, embalagens e quantidades suficientes do produto em barras para derreter e em seguida transformá-lo em ovos de Páscoa.


Durante três dias, com uma jornada diária de 18 horas de trabalho devido ao prazo de entrega apertado, foi possível honrar todas as encomendas. Essa operação gerou um lucro líquido de aproximadamente US$ 500. Depois da experiência, Alexandre percebeu que havia um mercado muito pouco explorado de chocolates artesanais e resolveu investir nisso. Com esse capital inicial, a empresa iniciou suas atividades no mês de outubro de 1988 no bairro da Casa Verde, em São Paulo. O empreendimento se estabeleceu em uma pequena sala de 12 m² da empresa de seus pais, vendedores de produtos da Avon e potes da Tupperware, que inicialmente foi cedido sem custo por seis meses. Após esse período inicial, ele passou a pagar aluguel. Nessa época, o processo de produção era bem precário: ele e o amigo produziam e saíam vendendo as guloseimas em padarias, contando também com a ajuda de alguns poucos revendedores.


Porém, foi preciso mudar a estrutura de distribuição, pois, para o tipo e o custo do produto vendido, ficava muito caro o sistema de comissões e de prazos de pagamento habituais ao canal de venda domiciliar. Foi nesta época que Alexandre optou por atender diretamente a pequenos pontos-de-venda, como bares e lanchonetes, sem contar com a intermediação de atacadistas ou distribuidores. A experiência de sair vendendo pessoalmente, de loja em loja, foi considerada insubstituível pelo empresário, pois graças a ela, sabe exatamente como se vende, conhece profundamente o mercado e o perfil dos compradores, as dificuldades e oportunidades encontradas, podendo, portanto, preparar seus vendedores da melhor maneira para o dia-a-dia nas ruas. Além de vender o produto, buscou também informações técnicas: como fabricar, conservar, embalar, e assim por diante. Nesta busca de aperfeiçoamento da qualidade, fez cursos de vários tipos, desde aqueles oferecidos por grandes fornecedores e revendedores de chocolates em barra até cursos tipicamente voltados para donas de casa.


Um momento difícil para a empresa ocorreu no verão de 1992. Como é natural e ocorre em todos os verões com produtos à base de chocolate, a venda dos produtos da marca caiu acentuadamente. O produto parou de rodar no ponto de venda e, devido à sua curta vida útil, começou a estragar. Todos os produtos deteriorados foram trocados sem qualquer ônus para o varejista. Até aí era uma situação tradicional de verão, quando freqüentemente é necessário “colocar dinheiro” na empresa; foi então que a crise se instalou, porque não havia caixa suficiente para cobrir as despesas. Mais uma vez, Alexandre não ficou parado, reclamando, nem saiu atrás de empréstimos para cobrir as despesas. Ao contrário, buscou oportunidades de longo prazo. Como o fim do ano se aproximava, comprou uma máquina para fazer panettones, e vendeu-os; montou quiosques em feiras de natal para oferecer não só seus chocolates, mas também produtos adequados à temperatura do verão, como salgadinhos e sucos, adquiridos de terceiros: ou seja, quando a situação de seus produtos se complicou, a empresa mudou, rápida e temporariamente, sua oferta ao mercado para poder suprir os problemas e sair em boas condições.


A primeira loja só veio em 2001, construída em um pequeno espaço de 40 metros quadrados, na cidade de Piracicaba, no interior paulista. Pouco depois, ainda neste ano, a empresa implantou o sistema de franquia. Era o que faltava para dar consistência à empresa. Nos anos seguintes foram inauguradas centenas de lojas em várias cidades brasileiras. Em 2005 a empresa ganhou o prêmio de “Melhor Franquia do Ano”, na categoria Cafeteria e Confeitaria. Somente em 2006 fez o primeiro anúncio em televisão. Em 2007, para dar conta da expansão, a empresa abandonou sua antiga fábrica de cinco mil metros quadrados, na capital paulista, e inaugurou uma nova unidade de 17 mil metros quadrados em Itapevi, interior de São Paulo. O novo empreendimento consumiu um investimento inicial de R$ 15 milhões. Para a produção de trufas, carro-chefe da rede, a CACAU SHOW conta com a maior máquina de fabricação de trufas da América do Sul, com capacidade para produzir uma tonelada de trufas por hora.


Em meados deste ano a CACAU SHOW se tornou a maior rede de lojas de chocolates finos do mundo, ao ultrapassar em número de lojas a americana Rocky Mountain. E o crescimento não parou por aí: em 2008, inaugurou 234 novas lojas; e no ano de 2010 atingiu a marca de mil lojas abertas. O sucesso dos últimos anos também foi amparado pelos constantes lançamentos e serviços inovadores, como por exemplo, a implantação do famoso café espresso em alguma de suas lojas; a realização do Festival das Trufas, onde ao comprar 9 unidades a décima sai totalmente grátis; a criação de kits para datas comemorativas, incluindo o Dia dos Namorados, que em 2010 continha um livro Kama Sutra de bolso, creme de massagem sabor trufa (comestível) e plaquinhas de chocolate ao leite com posições do Kama Sutra; além de novos produtos como Fondue; o chocolate quente, que é servido no inverno; o Tablete +Leite, que traz 28% de cacau e é feito com leite de alta qualidade com quase o dobro da quantidade dos outros chocolates, resultando em uma textura cremosa do leite, que acentua o sabor e faz com que o produto derreta na boca mais facilmente; e o Montebello, uma deliciosa “montanha” de marshmallow coberta com o puro chocolate ao leite, disponível nos sabores de Coco Queimado, Tradicional, Maracujá e Coco, além dos sabores sazonais e limitados como Milk-Shake, Papaia com Cassis, Mousse de Limão e Frutas Vermelhas. Em pouco mais de duas décadas, a CACAU SHOW cresceu enormemente e se tornou uma deliciosa história de sucesso ao inaugurar um nicho de mercado até então inexplorado. Com lojas e embalagens semelhantes às de marcas de primeira linha, aliou uma imagem de sofisticação a um preço mais baixo.


Os produtos
A CACAU SHOW oferece uma linha completa formada por 200 produtos tabletes recheados (como a linha Chocoterapia, composta por tabletes com muito mais cacau combinado com os mais inusitados ingredientes como pimenta, erva doce, canela, café e erva cidreira), bombons finos, pastilhas de chocolate com menta, garrafinhas de chocolate ao leite (nos sabores cereja, morango, marula, menta, café conhaque, anis e amareto ao leite), e chocolates especiais com graduações de cacau de 28 a 70%, chocolate sem lactose, orgânico, com certificado de origem, ou seja, diversas opções para todos os paladares. Também conta com linha diet de ovos de Páscoa, bombons, trufas, tabletes e outros. Além disso, sua linha oferece Fondue e panettones.


Apesar da enorme e deliciosa gama de produtos, o principal produto da marca é a trufa, que sem dúvidas são uma verdadeira tentação. Mensalmente são produzidos mais de 15 milhões de unidades, de 25 sabores diferentes, numa receita que recebe mais manteiga de cacau que os chocolates normais. Entre os variados sabores estão trufas recheadas de pimenta e hortelã, avelã, cereja, doce de leite, laranja, morango, coco, maracujá, limão, framboesa, graviola, banana, chocolate branco, menta, café, champanhe, licor de chocolate, torta holandesa e marula. Existem também as trufas com edições limitadas e sazonais. Na época do natal, por exemplo, é lançada a trufa com sabor panettone e chocotone, e no verão, a CACAU SHOW inova com os sabores como pêssego, frutas tropicais, piñacolada, graviola e até caipirinha. Reconhecida como especialista em trufas, a marca já lançou mais de 45 sabores desde sua fundação.


Os slogans
Um Show de chocolate. (2009)
Aqui é fácil fazer alguém feliz.
Qualidade sempre presente.



Dados corporativos
● Origem: Brasil
● Fundação: 1988
● Fundador: Alexandre Tadeu da Costa
● Sede mundial: Itapevi, São Paulo, Brasil
● Proprietário da marca:
Cacau Show Ltda.
● Capital aberto: Não
● Presidente: Alexandre Tadeu da Costa
● Faturamento: R$ 400 milhões (estimado)
● Lucro: Não divulgado
● Lojas: 1.040
● Fábricas: 4
● Presença global: 6 países
● Presença no Brasil: Sim
● Maiores mercados:
São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais
● Funcionários: 1.100
● Segmento: Chocolates
● Principais produtos:
Chocolates e derivados
● Principais concorrentes:
Kopenhagen, Brasil Cacau e Munik
● Ícones: As trufas
● Slogan:
Um show de chocolate.
● Website: www.cacaushow.com.br

A marca no mundo
A CACAU SHOW, maior empresa brasileira na produção de chocolates finos, é também uma das maiores franqueadoras do país, sendo a maior rede de lojas especializada em chocolates finos do mundo com mais de 1.000 lojas espalhadas por 27 estados brasileiros. Em 2010 a rede faturou R$ 400 milhões (ou R$ 1 bilhão, se contabilizado o movimento das lojas). Com um olho no mercado interno e outro no exterior, a CACAU SHOW tem ampliado os negócios com outros países. Já exporta para os Estados Unidos e países do Mercosul. Hoje, a empresa atua em três canais de venda: atacado, pela fabricação de chocolate para outras marcas/empresas; varejo, através rede de lojas e de distribuidores; vendendo diretamente ao consumidor final. A empresa possui quatro fábricas - em Itapevi (SP), Campos do Jordão (SP) Capital Paulista e Curitiba (PR) - e uma produção de mais de 14 mil toneladas de chocolates ao ano. Anualmente a CACAU SHOW lança 100 novos produtos.

Você sabia?
Em relação ao retorno do investimento para lojas franqueadas, a empresa afirma que 82% de seus franqueados o obtiveram até a primeira Páscoa.
A cada Páscoa a marca vende aproximadamente 4.3 milhões de ovos, detendo, segundo pesquisas, aproximadamente 10% do mercado. Além disso, em 2010, durante o período de natal foram vendidos mais de 2 milhões de panettones.


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Isto é Dinheiro, Exame e Época Negócios), sites especializados em Marketing e Branding (Mundo do Marketing), jornais (Valor Econômico) e Wikipedia (informações devidamente checadas).

Última atualização em 19/8/2011